Eleições

Rio diz que “está tudo em aberto” quanto à vitória a 06 de outubro

Rio diz que “está tudo em aberto” quanto à vitória a 06 de outubro

 

AO Online/ Lusa   Nacional   28 de Set de 2019, 21:31

 O presidente do PSD, Rui Rio, defendeu este sábado que “está tudo em aberto” quanto à vitória nas eleições de 06 de outubro, e avaliou que, pelas “sondagens de rua”, o PSD está a “subir muito”.

Em declarações aos jornalistas durante um contacto de rua com a população de Vila Real, Rio foi também questionado se se sente com saúde para enfrentar a campanha, depois de o líder do PS, António Costa, ter tido que cancelar hoje algumas iniciativas devido a dores musculares nas costas, mas escusou-se a falar no assunto.

“Pronto, tudo bem. Quer dizer, se tiver dores nas costas tudo mal para ele, mas isso não é de minha conta, por aí não entro (…) Até ver comigo está tudo bem, o diabo seja surdo”, disse, ao mesmo tempo que batia numa mesa de madeira no café onde entrou, e recordava que já fez muitas campanhas.

Depois de ter dito que acredita mais nos contactos que faz nas ruas do que nas sondagens efetuadas pelos meios de comunicação social, Rio foi questionado como estava o seu “barómetro PSD”.

“Eu acho que as ditas sondagens de rua estão a subir, e muito, agora também sei que estou num distrito favorável ao PSD”, afirmou.

De manhã, Rio subiu a um pelourinho no centro de Bragança e já falou em vitória, mas justificou o entusiasmo pelo facto de “a mobilização no norte ser sempre mais fácil do que no sul” na história do PSD.

“Tenho a noção muito clara de que o PSD está muito acima do número que se dizia, se dá para ganhar ou não vamos ver no dia 6 de outubro”, afirmou.

O líder do PSD lembrou que, há uns meses, disse que iria disputar as legislativas “taco a taco” com o PSD, considerando que a sua previsão se confirmou.

“A certeza não tenho, porque é a 06 de outubro que as pessoas vão votar, mas neste momento é evidente que tudo está em aberto”, acentuou

Questionado se o caso Tancos ‘caiu do céu’ no meio da campanha, Rio começou por rir, mas depois rejeitou essa interpretação.

“Não caiu do céu, é um caso grave que caiu na campanha mas não tem a ver com a campanha mas com os prazos judiciais. Aconteceu e, por isso, não podemos deixar de falar nele, mas falamos de muitas outras coisas”, disse.

Os contactos com a população em Vila Real – os terceiros do dia - limitaram-se a 25 minutos, um café e uma rua, nos quais o líder do PSD distribuiu os já habituais lápis, e pouco conversou com os populares que ainda circulavam ao final da tarde.

Antes, o presidente do PSD tinha participado numa pequena arruada em Valpaços, onde recebeu diversas demonstrações de apoio e se brindou à vitória social-democrata nas eleições legislativas, uma semana antes de os portugueses irem às urnas.

Rodeado por algumas dezenas de apoiantes e membros da Juventude Social-Democrata, Rui Rio percorreu o pequeno percurso por entre os expositores da Festa das Vindimas e do Vinho, onde ouviu desejos de “força” para o próximo dia 06.

Quando passou pela representação da Confraria dos Vinhos Transmontanos, os confrades vestidos a rigor já não o deixaram sair de lá sem antes fazerem um brinde da forma tradicional: “honor et gloria transmontano vino”, que em português atual significa “honra e glória ao vinho transmontano”.

“À vitória, à vitória, à vitória”, dizia o grupo enquanto os copos tilintavam uns contra os outros.

Mais à frente, alguns valpacenses pediram ao líder social-democrata que no futuro não se esqueça daquela região, prometendo também não se esquecerem do PSD quando forem às urnas.

E Rui Rio deixou aquela cidade com uma promessa no bolso: “A sondagem está feita em Valpaços e essa é que conta”, atirou um dirigente local.

Antes, em Mirandela, Rio participou num almoço com agricultores, onde fez uma intervenção inicial sem uma mensagem política nova e respondeu a perguntas destacando as medidas do programa eleitoral do PSD.

Por responder, ficou a questão de um criador de gado bovino da raça Mirandesa, precisamente sobre a polémica em torno da proibição do consumo de carne de vaca nas cantinas da Universidade de Coimbra.

O sétimo dia de campanha oficial para as legislativas de 06 de outubro fechou com uma visita ao Museu do Douro, na Régua, distrito de Vila Real.

O cabeça de lista pelo círculo eleitoral de Vila Real é novamente o deputado Luís Leite Ramos, num distrito onde a coligação PSD/CDS-PP elegeu três de cinco deputados possíveis, todos sociais-democratas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.