Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   3 de Nov de 2008, 05:17

O anúncio do Governo de que vai propor ao Parlamento a nacionalização do Banco Português de Negócios, que acumulou perdas no valor de 700 milhões de euros, domina hoje as manchetes dos jornais de Lisboa.
O Público destaca “Bancos privados não quiseram salvar BPN e o Governo optou pela nacionalização”, salientando que os problemas do BPN eram anteriores à actual crise financeira.

    O ministro das Finanças anunciou que vai propor a nacionalização do BPN ao Parlamento em conferência de imprensa no final da reunião extraordinária do Conselho de Ministros.

    Teixeira dos Santos adiantou que o BPN será a partir de hoje acompanhado no seu funcionamento por dois administradores da Caixa Geral de Depósitos.

    A gestão do BPN será entregue à Caixa Geral de Depósitos, encarregue de “gerir e apresentar um plano de desenvolvimento”.

    Sobre este assunto, o Diário de Notícias adianta “Crise e fraudes obrigam Estado a nacionalizar um banco 33 anos depois”, sublinhando que o Governo vai pagar em três meses 1.200 milhões de dívidas a empresas.

    “Nacionalização do BPN permite salvar depósitos” é a manchete do Jornal de Notícias, adiantando que os gestores da Caixa Geral de Depósitos integram administração e banco poderá ser alienado mais tarde.

    O Estado, escreve ainda o JN, vai ajudar os bancos para evitar que sejam comprados por estrangeiros.

    Por sua vez, o Correio da Manhã noticia “’Operação Furacão’ leva BPN à falência”, contando que o Ministério Público detectou uma operação de centenas de milhões de euros sem qualquer suporte contabilístico num balcão virtual do Banco Insular de Cabo Verde, que gerou um elevado valor incobrável.

    O Diário Económico escreve “Governo nacionaliza BPN para salvar sistema financeiro”, precisando que o Conselho de Ministros extraordinário aprovou domingo um conjunto de medidas contra a crise, para a banca e a economia.

    Sobre o assunto, o Jornal de Negócios titula “BPN será público: Estado nacionaliza bancos”.

    O económico diz que o BPN pode ser absorvido pela Caixa e desaparecer do sector.

    Os jornais diários destacam ainda a vitória do Benfica frente ao Vitória de Guimarães por 2-1, em encontro da sétima jornada da Liga portuguesa de futebol, disputado em Guimarães.

    O 24horas noticia “Morreu o filho de Paulo Teixeira Pinto”, contando que Paulo Guilherme, de 22 anos, faleceu repentinamente em casa.

    O diário destaca ainda “Governo nacionaliza o BPN e lança plano para comprar acções das instituições financeiras” e “Antiga administração do BPN investigada por gestão danosa”.

    O triunfo do Benfica sobre o Vitória de Guimarães (1-2) faz hoje o pleno das capas dos matutinos desportivos, que destacam a exibição dos “encarnados” e o facto do avançado hondurenho Suazo ter marcado o golo 5.000 da equipa da Luz.

    “Classe e carácter” é o título escolhido por A Bola para acompanhar as fotos de Suazo e de Luisão, dois jogadores do Benfica que domingo mais se destacaram na vitória sobre a equipa vimaranense.

    “Benfica resiste a tudo jogando segunda parte com dez”, comenta o matutino, sublinhando “golo 5000 em jogada fabulosa de Aimar e Suazo” e destacando a declaração do presidente dos “encarnados”: “com esta equipa e estes adeptos não há quem nos pare”.

    Em chamadas à direita, duas garantias para treinadores: “Ribeiro Teles garante Paulo Bento +até ao fim+” e “Jesualdo intocável” no FC Porto.

    Na capa de O Jogo está uma imagem de Suazo na marcação do primeiro golo do jogo, que lhe valeu entrar na história do Benfica por ter sido o autor do tento nº 5000.

    “Passe de letra de Aimar com finalização de Suazo no golo 5000”, comenta O Jogo, que destaca a declaração do técnico Quique Flores: “Soubemos jogar e soubemos sofrer”.

    Ainda na capa, o matutino refere que “Ribeiro Telles elogia carácter e competência de Paulo Bento” e destaca ainda o triunfo de Lewis Hamilton no mundial de Fórmula 1.

    No Record a capa junta a mesma imagem de Suazo a desferir o remate que deu o golo 5.000 debaixo de um marcador com o número 5001 para dizer que “águia passa histórica marca de golos”.

    “Imparável Suazo”, comenta o matutino desportivo, referindo o “pontapé para o 1-0 e um registo mítico”.

    Numa coluna à esquerda, o jornal recorda os autores dos golos que assinalam cada milhar de tentos: Alfredo Valadas (1.000), Rosário (2.000), Yaúca (3.000), Vítor Martins (3.000), Yuran (4.000) e Suazo (5.000).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.