Angola/ RD Congo

Relatório da ONU alerta para risco de "catástrofe humanitária"


 

Lusa / AO online   Internacional   14 de Out de 2009, 13:01

A concentração de dezenas de milhar de congoleses e angolanos na fronteira de Luvo/Lufu, expulsos por Angola e República Democrática do Congo (RDC), pode degenerar numa "catástrofe humanitária" na região, alerta o Gabinete dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas.
O relatório de situação do Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), elaborado após o envio para o terreno de uma missão que integra diversas agências das Nações Unidas, sustenta que a possibilidade de a situação se tornar "catastrófica" vai depender da continuação ou paragem das expulsões.

Segunda-feira à noite, as autoridades dos dois países concordaram suspender as deportações e prosseguem contactos bilaterais para encontar uma solução duradoura.

Os congoleses expulsos estão concentrados em províncias de fronteira como Baixo Congo, Bandundu e Kasai-Ocidental.

As agências humanitárias mostram-se particularmente preocupadas com a situação no Baixo Congo, onde já se encontram entre 15 mil e 20 mil repatriados, que ali chegaram na maioria ao longo dos últimos dois meses.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.