Açoriano Oriental
Covid-19
Reino Unido investiga falha no registo de quase 16.000 infeções

O governo britânico abriu uma investigação para perceber como quase 16.000 novas infeções pelo novo coronavírus não foram registadas devido a uma falha técnica, anunciou secretário da Saúde, Matt Hancock.

Reino Unido investiga falha no registo de quase 16.000 infeções

Autor: Lusa/AO Online

Matt Hancock, que compareceu perante a Câmara dos Comuns, a câmara baixa do parlamento britânico, explicou que o problema está relacionado com a "transferência automatizada de ficheiros" e ligado às limitações de tamanho dos ficheiros nas folhas de cálculo Excel utilizadas no programa de teste e rastreio.

"Este é um problema sério que está a ser investigado exaustivamente. Agora é fundamental que trabalhemos em conjunto para o corrigir e garantir que não volta a acontecer", disse Hancock.

A presença de Hancock na Câmara dos Comuns ocorreu após a revelação, no fim de semana, de que 15.841 casos de infeção pelo novo coronavírus não foram registados entre 25 de setembro e 02 de outubro.

Apesar de os testes terem sido positivos, os contactos - potencialmente cerca de 50.000 pessoas - não foram rastreados, uma falha que poderá ter permitido que o vírus se propagasse.

Jonathan Ashworth, do Partido Trabalhista (oposição), disse que a falha mostrou como "o plano do Governo conservador para combater a pandemia era ambíguo" e que, em última análise, o regime de testes do país está a "colocar vidas em risco".

Legisladores de todos os partidos criticaram o Governo do primeiro-ministro Boris Johnson pela falta de capacidade de testagem e pelos atrasos na notificação dos resultados.

Para que o programa de teste e rastreio funcione bem, os contactos devem ser notificados o mais cedo possível, de preferência dentro de horas.

Assim, a falha das autoridades em informar as pessoas potencialmente expostas ao vírus poderá levar a muitos mais casos positivos e à subsequente necessidade de o Governo impor mais restrições.

Ashworth criticou o Executivo pela falha "num dos pontos mais cruciais da pandemia".

Os casos não comunicados foram adicionados ao total diário de novas infeções do governo durante o fim de semana, aumentando o número de casos de sábado para 12.872 e o de domingo para 22.961.

Isto em comparação com uma média de 7.000 novos casos por dia nos quatro dias anteriores. O número de novos casos comunicados hoje caiu para 12.594, mas dado os ajustamentos relacionados com os casos em falta, não é possível identificar uma tendência.

Tal como outros países da Europa, o Reino Unido tem assistido, nas últimas semanas, ao aumento das infeções pelo novo coronavírus, o que levou o governo a anunciar uma série de restrições, tanto a nível nacional como local.

As novas regras limitam o número de pessoas autorizadas a reunir-se e instituem recolher obrigatório nos bares.

O Reino Unido tem o maior número de mortes relacionadas com o vírus da Europa, cerca de 42.400.

Os principais conselheiros científicos do governo avisaram há duas semanas que se não fossem adotadas mais restrições, o país poderia acabar com 50.000 novos casos por dia em meados de outubro, levando a centenas de mortes diárias um mês mais tarde.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.