Rebeldes querem que Kadhafi seja julgado no país

Rebeldes querem que Kadhafi seja julgado no país

 

Lusa/AO Online   Internacional   24 de Ago de 2011, 07:38

Muammar Kadhafi terá de enfrentar um julgamento na Líbia antes de ser enviado para o Tribunal Penal Internacional, em Haia, afirmou na terça-feira o porta-voz do Conselho Nacional de Transição, Abdel Hafiz Ghoga.

Em declarações à televisão estatal egípcia, Ghoga disse que Kadhafi, que foi indiciado pelo tribunal de Haia em maio por crimes de guerra, ainda se encontra na Líbia e que não há como escapar.

“Kadhafi ainda está na Líbia, poderá ter escapado para o centro ou sul do país se é que não está em Tripoli”, defendeu o porta-voz dos rebeldes citado pela Reuters.

“Queremos capturar Kadhafi e julgá-lo na Líbia antes de ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional”, acrescentou.

Os rebeldes continuavam esta noite a fazer buscas na rede de túneis do quartel-general de Bab al-Aziziyah, centro do poder e residência de Kadhafi, para garantirem que ali não se encontra o líder líbio nem membros da sua família.

“Não há qualquer possibilidade de ele escapar. Kadhafi não tem escolha”, garantiu Ghoga.

Mas um porta-voz de Kadhafi afirmou também esta noite que o líder líbio está preparado para resistir à ofensiva dos rebeldes durante meses ou até anos.

“Vamos transformar a Líbia num vulcão de lava e fogo aos pés dos invasores e dos seus agentes traiçoeiros”, afirmou Moussa Ibrahim em declarações por telefone a canais de televisão por satélite da Líbia.

“Os rebeldes não vão ter paz se derem continuidade ao plano de mudarem a sua sede de Benghazi para Tripoli”, garantiu.

Na terça-feira, os rebeldes ocuparam o complexo residencial de Kadhafi na capital líbia e destruíram uma estátua e retratos do coronel entre outros símbolos dos 42 anos do regime.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.