Quarteto afirma vontade em aproveitar a oportunidade de Annapolis


 

Lusa / AO online   Internacional   27 de Nov de 2007, 16:32

O Quarteto para o Médio Oriente (Estados Unidos, União Europeia, Rússia e ONU) afirmou o seu compromisso em aproveitar a oportunidade da conferência de Annapolis para chegar à paz, de acordo com uma declaração divulgada esta terça-feira.
Os responsáveis do Quarteto estiveram reunidos segunda-feira, na véspera do início da conferência internacional em Annapolis (perto de Washington) visando relançar as negociações entre israelitas e palestinianos para pôr fim a um conflito com 60 anos.

Segundo a declaração final da reunião, divulgado hoje no "site" da presidência portuguesa da UE, o Quarteto expressou "forte apoio" à conferência convocada pelos Estados Unidos, reconhecendo "o compromisso dos líderes israelita e palestiniano para lançarem negociações bilaterais visando a criação de um Estado palestiniano na Cisjordânia e na Faixa de Gaza e a paz" entre as duas partes.

"Isto reflecte os resultados de meses de trabalho das partes e do Quarteto, incluindo o envolvimento do Quarteto com o comité de acompanhamento da Liga Árabe para alargar o núcleo de suporte para a paz", segundo o comunicado.

O Quarteto destaca o "alargado apoio internacional" à reunião de Annapolis e a perspectiva da conferência de doadores em Dezembro, em Paris, para analisar o apoio financeiro a dar aos esforços para construir um Estado palestiniano viável.

Para continuar envolvido no processo, o Quarteto acordou reunir-se em Dezembro e espera convidar os membros do comité de acompanhamento da Liga Árabe para participar, adianta a declaração final.

Participaram na reunião em Washington, a convite da secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, o secretário-geral da Nações Unidas, Ban Ki-moon, o Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Javier Solana, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Luís Amado (enquanto presidente em exercício do Conselho de Ministros da UE) e a comissária europeia para a Política Externa, Benita Ferrero-Waldner, assim como o representante do Quarteto, Tony Blair.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.