Açoriano Oriental
Qualquer prolongamento da concessão dos CTT implica cumprimento das obrigações

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, afirmou que "qualquer prolongamento que seja feito para a atual concessão" dos CTT - Correios de Portugal "não vai implicar a quebra de qualquer obrigação anterior".

Qualquer prolongamento da concessão dos CTT implica cumprimento das obrigações

Autor: Lusa/AO online


Pedro Nuno Santos falava na audição conjunta das comissões parlamentares de Orçamento e Finanças e da Economia, Inovação, Obras Públicas e da Habitação, no âmbito da apreciação, na especialidade, da proposta do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

Questionado pelo PCP sobre a prestação do serviço postal universal dos CTT, que termina no final do próximo mês, Pedro Nuno Santos afirmou que "qualquer prolongamento que seja feito para a atual concessão não vai implicar a quebra de qualquer obrigação anterior".

Ou seja, "todas as obrigações terão de ser integralmente cumpridas", asseverou.

"Não excluímos qualquer solução para os CTT nesta fase, obviamente que é um processo independente da negociação de um novo concurso para o contrato de concessão", referiu.

"No que diz respeito aos CTT, há uma coisa que para nós é certa: é que nunca o Estado português cederá a qualquer tipo de chantagem, faremos uma negociação com a consciência que representamos o Estado português e os portugueses", salientou.

Os CTT anunciaram hoje que os lucros caíram 81,1% nos primeiros nove meses deste ano, em termos homólogos, atingindo 4,3 milhões de euros.

O grupo adiantou, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que este resultado, atribuível a detentores de capital, deveu-se entre outros fatores, à redução do EBIT (resultado antes de juros e impostos) que no mesmo período se fixou em 17,3 milhões de euros, uma redução de 49,6% face a igual período do ano passado.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.