Açoriano Oriental
PSD/Açores diz que listas de espera para cirurgia e consulta são “sucessivamente ocultadas”

O líder do grupo parlamentar do PSD/Açores denunciou esta segunda-feira que os dados sobre as listas de espera para cirurgia e consulta são “sucessivamente ocultados”, apesar das iniciativas parlamentares para apurar estes números.

article.title

Foto: PSD/A
Autor: Lusa/AO Online

À saída de um encontro com o Conselho de Administração do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, Luís Maurício disse aos jornalistas que aquele órgão “não conseguiu dar os dados relativamente aos doente em espera porque aguarda-se a consolidação dos dados com outros hospitais”.

Segundo os responsáveis do hospital, citados pelo PSD/Açores, “será a tutela, o Governo Regional, que os vai transmitir”.

Contudo, o PSD/Açores acusou o executivo de “estar em falta” porque foi “apresentado um requerimento a solicitar estes dados em 16 de agosto de 2019”, tendo sido “ultrapassado o prazo legal de 60 dias” para o fazer.

“Em 31 de dezembro de 2018, o Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, tinha 10.441 doentes inscritos para cirurgia num total de 13.131 em espera em toda a região”, adiantou o parlamentar.

Além de “estranhar o desconhecimento desses dados”, que são “ocultados de forma sucessiva”, Luís Maurício considerou que há a necessidade de reforçar as verbas para a produção cirúrgica adicional, o que vai ser proposto no parlamento regional, no âmbito da apreciação do Plano e Orçamento para 2020 do Governo dos Açores.

O deputado defendeu que, a par do reforço de verbas, se “deve evitar o que aconteceu no Hospital do Divino Espírito Santo, no ano transato, com o surto de gripe e a falta de respostas sociais, o que levou a que uma enfermaria fosse ocupada por situações que não eram agudas, determinando a paragem das cirurgias”.

Para o deputado social-democrata, a par da formação dos profissionais do comportamento a adotar perante o surto de gripe que é esperado no primeiro trimestre de 2020, devem ser desenvolvidas campanhas de informação junto da população, em particular aos grupos populacionais que apresentam mais riscos, visando dar a conhecer os “procedimentos adequados, como a vacinação, para evitar os elevados números do ano transato”.

O parlamentar adiantou que existem 11 camas no Hospital do Divino Espírito Santo que se encontram ocupadas com casos de alta clínica e “sem resposta por parte dos lares”, enquanto no que concerne à acessibilidade à consulta, cujos dados também não foram revelados, segundo o PSD/Açores, sabe-se que em 31 de dezembro de 2018 eram 2.400 os utentes à espera de uma consulta de oftalmologia.

“O PSD/Açores vai defender no âmbito do Plano e Orçamento de 2020, mais uma vez, (a proposta anterior foi chumbada o ano passado pelo PS/Açores) a criação do cheque consulta, ultrapassado o tempo máximo de resposta garantido e feita a triagem clínica por parte do hospital”, declarou Luís Maurício.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.