Programa pioneiro de prevenção de comportamentos de risco começa a ser implementado nas escolas em setembro

Programa pioneiro de prevenção de comportamentos de risco começa a ser implementado nas escolas em setembro

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   31 de Jul de 2018, 20:00

O programa “Prevenir em Família e na Comunidade”, vai começar a ser implementado no próximo ano letivo em três turmas do 1º ciclo.

Este foi um anúncio feito pela diretora regional de Prevenção e Combate às Dependências, Suzete Frias, à margem de uma reunião, com a Cáritas, uma altura em que explicou e citada em nota do Gacs, que “neste momento estão todos os instrumentos preparados, o passo seguinte é a implementação das sessões aos pais e às crianças e para isso estamos a estabelecer parcerias com outras entidades, incluindo instituições particulares de solidariedade social” .


Numa primeira fase o programa será dirigido a turmas vulneráveis com um projeto piloto que inclui 14 sessões.


O programa “Prevenir em Família e na Comunidade” consiste na adaptação à Região, do programa de “Competências Familiares”, adaptado para a realidade espanhola, pela Universidade das Ilhas Baleares, e para a realidade portuguesa, pelo CEIFAC, Centro Integrado de Apoio Familiar de Coimbra e Universidade de Coimbra.


O mesmo visa fortalecer os fatores protetores na família e diminuir os de risco.


Trata-se de um projeto de competências parentais que num primeiro módulo, abrange crianças dos 7 aos 11 anos, sendo uma iniciativa pioneira no país, já referenciada como uma estratégia eficaz de prevenção do uso e abuso de drogas, por parte da União Europeia.


Segundo adiantou Suzete Frias, a novidade deste projeto é a “existência de sessões em conjunto, onde são experimentadas todas as competências e todos os conteúdos no reforço que é dado à vinculação, às relações entre os membros da família”.


Em setembro do ano passado foram iniciadas ações de formação ministradas por Luís Ballester, da Universidade das Ilhas Baleares, destinadas a profissionais de saúde, da área da solidariedade social, da educação e das instituições particulares de solidariedade social.


A Direção Regional de Prevenção e Combate às Dependências, em conjunto com a Direção Geral de Reinserção Social, definiu três territórios vulneráveis, onde esta iniciativa será implementada, dois em São Miguel e um na Terceira.


“O objetivo da direção regional é, mais do que tratar, ir a montante promover os fatores protetores. Em linguagem de saúde são as vacinas que protegem estas crianças, promovendo os fatores protetores e diminuindo os fatores de risco, ou seja, os vírus que nos pudessem tornar vulneráveis” explicou a governante.


Este programa que está enquadrado no Plano de Ação dos Problemas Ligados ao Álcool, após os resultados do projeto experimental, será implementado em todo o território regional.


A diretora acrescentou ainda que está a ser planeado, em parceria com as Universidades dos Açores e do Porto e com a Universidade das Ilhas Baleares, “adaptarmos cinco sessões de prevenção universal para todas a crianças, para estabelecer essa tal relação e esse tal vínculo entre os elementos da família”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.