Acidente

Prognóstico reservado para feridos em despiste de ambulância


 

Lusa/AO online   Nacional   9 de Set de 2008, 11:43

Os dois feridos graves resultantes do despiste de uma ambulância, que provocou segunda-feira a morte a duas pessoas, na A1, próximo de Pombal, encontram-se com “prognóstico reservado”, informaram as unidades hospitalares onde estão internados.
O bombeiro, de 21 anos, que conduzia a viatura, está na Medicina Intensiva dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), para onde foi transferido cerca das 02:00 da madrugada de hoje, com “politraumatismo grave”.

    O sinistrado deu entrada no Hospital dos Covões do Centro Hospitalar de Coimbra (CHC) mas, por falta de vaga nos cuidados intensivos, acabou por ser transferido para os HUC, com “prognóstico altamente reservado”, refere uma nota hoje divulgada pelo CHC.

    Apresentava “traumatismo grave crânio-encefálico, uma fractura grave da base do crânio” e estava “inconsciente e reagindo em descerebração”.

    Nos Cuidados Intensivos do Hospital dos Covões encontra-se uma mulher de 44 anos, também ferida com gravidade no acidente, que “não corre risco de vida, embora o prognóstico ainda seja reservado”.

    A doente deu entrada no hospital com “um grave traumatismo torácico e abdominal, com pneumotorax e derrames peritoneais e retroperitoneais, assim como um traumatismo da coluna lombar”, não sendo aparentes lesões crânio-encefálicas, explica a mesma nota do CHC.

    O despiste da ambulância ocorreu ao início da tarde, no sentido Norte/Sul e provocou a morte a uma jovem de 24 anos, grávida, e a um idoso.

    A ambulância, pertencente aos Bombeiros Voluntários de Benedita, distrito de Leiria, regressava de Coimbra, onde os sinistrados se tinham deslocado para consultas hospitalares.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.