Hotelaria

Procura para a passagem de ano supera a dos anos anteriores


 

Lusa/AO Online   Economia   28 de Dez de 2009, 07:50

A par da habitual enchente na ilha da Madeira, de Norte a Sul do país há muitos hotéis que já têm a lotação esgotada para a noite de passagem de ano e são unânimes em dizer que a procura superou a dos anos anteriores.

"As ocupações para a época de fim de ano variam consoante a região geográfica, mas, em termos genéricos, esperamos obter ocupações superiores às do ano passado", disse a directora de Imagem e Comunicação do grupo Pestana.

Em declarações à Lusa, Patrícia Reimão disse que "os hotéis Pestana na Madeira já estão totalmente completos e, no Algarve, as taxas de ocupação também são elevadas havendo ainda quartos disponíveis", realçando que "o Algarve tende a receber reservas mais em cima da hora".

A porta-voz do grupo Pestana adiantou que os hotéis do Porto, Lisboa, Sintra e Cascais estão igualmente com boas taxas, mas, acrescentou, "ainda com margem para crescer".

Segundo Patrícia Reimão, o aumento da procura também se sentiu na rede das Pousadas de Portugal, que registam "taxas de ocupação superiores às do ano passado", referindo que nas pousadas novas - do Porto, Viseu e de Estói - "a procura tem sido muito elevada".

Na vila minhota de Melgaço, o hotel Monte Prado tem a lotação esgotada desde o início do mês de Dezembro, sendo a procura constituída sobretudo por grupos de amigos.

O hotel, do grupo Casais, apostou nos pacotes de três e quatro noites que, além do alojamento e da ceia de 'Reveillon', oferece tratamentos no 'spa'.

O Montebelo Hotel & Spa, em Viseu, também já esgotou a sua capacidade para a noite de fim-de-ano com a particularidade de ter "esgotado mais cedo do que é habitual".

O director geral de Hotelaria da Visabeira Turismo, António Machado Matos, disse à Lusa que "no início de Dezembro, dois terços da capacidade já tinha sido atingida", explicando que "há pessoas que há 15 anos festejam a passagem de ano no nosso hotel".

O Montebelo Hotel & Spa oferece pacotes com preços especiais para quem ficar alojado durante duas ou três noites.

A cadeia Tivoli está com níveis de ocupação que oscilam entre os 65 e os 70 por cento, o que, segundo Alexandre Soleiro, director geral do Tivoli Hotels & Resorts, "se esquipara aos níveis do ano passado".

A cadeia de hotéis Íbis, que não organiza qualquer festa particular para comemorar a passagem de ano, tem a expectativa de entrar em 2010 com lotação esgotada.

"Nesta altura do ano os nossos hotéis estão com 100 por cento de taxa de ocupação, e prevemos que encham novamente", disse à Lusa Laurent Zenier, director de vendas e marketing da Accor Hospitality.

Apesar de não ter um programa especial para a época, o responsável explica que a estratégia é manter "o posicionamento económico, com um preço atractivo mesmo neste período de forte afluência", conquistando sobretudo "clientes jovens, que vêm em casal".

A expectativa também é elevada no Hotel Mercure Porto-Gaia que todos os anos, desde a abertura em 2003, "se congratula com a boa ocupação na noite de passagem de ano e com o facto de registar sempre 100 por cento da ocupação", referiu o director, Paulo Sassetti.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.