Presidente do Governo diz que Açores são "potência" que projeta a UE no Atlântico Norte

Presidente do Governo diz que Açores são "potência" que projeta a UE no Atlântico Norte

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Mai de 2019, 14:38

O presidente do Governo dos Açores disse esta quinta-feira que o arquipélago constituiu uma “autêntica potência europeia” que projeta a União Europeia (UE) no Atlântico Norte, não se esgotando a sua presença no projeto, na sua dimensão ultraperiférica e nos fundos comunitários que recebe.

"É um facto que somos uma região afastada do continente europeu, pequena em termos de dimensão, mas não é nem nunca foi a minha perspetiva ver a relação com a UE apenas nessa questão de sermos pequeninos. Também temos muita coisa para oferecer à UE”, declarou Vasco Cordeiro.

O líder do executivo açoriano esteve na Escola Secundária Antero de Quental, em Ponta Delgada, a dar uma aula a pretexto das comemorações do Dia da Europa, que hoje se assinala.

Para Vasco Cordeiro, a “pertença dos Açores” à UE “deve ter esta realidade em consideração”, uma vez que “não há neste projeto apenas regiões que sejam beneméritas ou que apenas dão, sendo que “todos beneficiam e têm algo a oferecer”.

No caso específico dos Açores, o governante referiu que "é pela sua existência que a UE tem no Atlântico Norte a possibilidade de ter um espaço, um território, uma afirmação”, frisando que se em termos terrestres a região tem uma pequena dimensão, por via do mar e da Zona Económica Exclusiva constitui uma “autêntica potência europeia”.

Vasco Cordeiro considerou que o projeto europeu “não pode ser reduzido a apenas uma questão de ajudas financeiras” e que o seu “sentido de pertença dos Açores não tem a ver com o que é que se tem a ganhar” em termos de materialização de apoios.

O presidente do Governo Regional declarou aos jovens alunos que a UE vai muito além dos fundos comunitários, destacando a mobilidade, a educação e a capacidade de circulação que oferece num continente europeu sem fronteiras.

Para o presidente do Governo Regional, são os jovens os “proprietários da União e não o Conselho e a Comissão Europeia, os políticos e técnicos que trabalham em Bruxelas”, desafiando-os a envolverem-se no projeto europeu, naquilo que é deles através de ferramentas como o voto.

O líder do executivo considerou que a UE está a ser confrontada com um dos seus maiores desafios com o “desinteresse daqueles que deviam de ser os principais cuidadores do projeto”, tendo deixado a mensagem de que este “precisa de ser defendido".

Além da aula de Vasco Cordeiro, ainda integrado nas comemorações do Dia da Europa nos Açores, a diretora Regional dos Assuntos Europeus dos Açores, Célia Azevedo, participa na sessão de encerramento das atividades evocativas da efeméride na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade dos Açores, campus de Ponta Delgada.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.