Presidente da Geórgia demite governo


 

Lusa / AO online   Internacional   16 de Nov de 2007, 15:55

O Presidente da Geórgia, Mikhail Saakachvili, demitiu Zurab Nogaideli do cargo de Primeiro-ministro do governo do país, substituindo-o por Lado Gurguenidzé.
Segundo fontes citadas pela imprensa georgiana, Nogaideli terá apresentado o pedido de demissão a Saakachvili "por motivos de saúde".

Na Primavera passada, o primeiro-ministro demitido foi submetido a uma complicada operação ao coração num hospital norte-americano.

Mikhail Saakachvili já anunciou o nome do político que irá substituir Nogaideli à frente do governo da Geórgia. Trata-se de Lado Gurguenidzé, 37 anos, director-geral do Banco Nacional da Geórgia.

O anúncio da substituição do chefe do executivo foi feito por Saakachvili logo após o levantamento do estado de emergência no país, imposto a 07 de Novembro, depois de graves confrontos entre a polícia e manifestantes da oposição que exigiam a demissão do dirigente georgiano.

Segundo a Constituição da Geórgia, a demissão do primeiro-ministro implica a dissolução de todo o governo.

O Presidente Saakachvili e o novo dirigente do executivo têm agora dez dias para escolher uma nova equipa governativa. Depois, o Parlamento deve, num prazo de uma semana, analisar a constituição do novo executivo e apoiá-lo ou não.

Todo o processo poderá ser acelerado uma vez que as eleições presidenciais antecipadas estão marcadas para 05 de Janeiro e se Saakachvili quiser candidatar-se ao cargo terá de se demitir até 22 de Novembro.

"Nas próximas horas, a candidatura de Lado Gurguenidzé e dos novos ministros será apresentada ao Parlamento e espero que o órgão legislativo supremo confirma o novo Primeiro-ministro da Geórgia nos próximos dias", declarou Saakachvili, numa conferência de imprensa realizada em Tbilissi.

"Precisamos de uma continuação mais activa das reformas iniciadas. Colocámos perante o novo primeiro-ministro a tarefa de, nos próximos tempos, garantir a duplicação gradual das reformas na Geórgia, o aumento brusco dos salários dos pedagogos e da segurança social, a rápida multiplicação dos programas de emprego e uma informação maior à população sobre os resultados das nossas reformas", acrescentou.

Segundo o Presidente da Geórgia, "isto é muito importante para que as nossas reformas adquirem um carácter mais activo e para que nós desenvolvamos ainda mais rapidamente o nosso país".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.