Preço do barril de petróleo bate recordes

Preço do barril de petróleo bate recordes

 

Lusa / AO online   Economia   1 de Out de 2007, 06:54

Os recentes recordes batidos pelo preço do petróleo nos mercados internacionais podem não ter efeitos significativos na economia portuguesa, porque estão a ser compensados pela valorização do euro, também, para valores recorde contra o dólar norte-americano.
A subida do preço do barril de petróleo que se tem verificado nos últimos meses está a tornar improvável que o Governo consiga cumprir uma das hipóteses de base em que assenta o Orçamento do Estado para 2007, a do preço do petróleo nos 67,6 dólares no conjunto do ano.

De acordo com cálculos feitos pela agência Lusa, com base em dados da agência Bloomberg, o preço do 'brent' teria que ser de 68,4 dólares nos dias que faltam até ao final do ano para que no conjunto de 2007 o barril custasse 67,6 dólares (tal como está previsto no OE 2007).

Uma vez que o barril estava a cotar acima dos 80,7 dólares em Londres ao final de sexta-feira, é pouco provável que a hipótese do governo prevista no orçamento do Estado para 2007 se venha a verificar, a não ser que a cotação desta matéria-prima caia fortemente nos próximos meses.

Na sexta-feira, o brent atingiu um novo máximo histórico em Londres, a beneficiar do efeito cambial (com o euro em máximos históricos, muitos investidores estão a aproveitar para comprar mais petróleo, já que essa matéria-prima é mais barata).

Até agora, a média do brent desde o início do ano está nos 67,32 dólares, valor próximo dos 67,6 dólares antecipado pelo Executivo, a beneficiar dos preços abaixo do esperado no início do ano.

Um afastamento grande da previsão do preço do petróleo face ao orçamentado significaria que as empresas e famílias teriam de pagar preços mais elevados pelos bens e serviços, o que poderia limitar o consumo e o investimento e, consequentemente, reduzir a receita do Estado.

No entanto, se corrigirmos o preço do barril de petróleo pela evolução cambial, constatamos que a valorização da moeda única europeia contra a divisa norte-americana faz com que, em euros, o preço do petróleo fique aquém do esperado pelo Governo.

Utilizando a previsão do Executivo para o euro face ao dólar (nos 1,3229 dólares no conjunto do ano) e avaliando o brent a esse câmbio, a previsão do preço do petróleo implícita nas previsões do Executivo é de 51,1 euros.

Esse valor fica ainda acima do valor médio dos 50,07 euros do barril verificados até 28 de Setembro, dando alguma margem para o Governo conseguir cumprir a sua meta (no resto do ano o brent pode valer 54,05 euros para que a meta seja atingida).

No dia em que o petróleo atingiu o máximo do ano, a 28 de Setembro, nos 80,72 dólares, mas, pagando com a moeda única, esse barril valia 56,7 euros, valor este que está já bem acima da meta do Executivo (51,1 euros).
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.