Açoriano Oriental
Covid-19
Possibilidades abertas por Bruxelas avaliadas pela SATA

O presidente do Governo Regional dos Açores disse que estão a ser avaliadas “todas as possibilidades abertas” no quadro da União Europeia para fazer face às dificuldades financeiras do grupo SATA, na sequência da pandemia da Covid-19.


Autor: Lusa/AO Online

Vasco Cordeiro declarou que “está a ser feita uma análise muito cuidada do impacto desta situação” de pandemia da Covid-19 nos resultados do grupo SATA, bem como de “todas as possibilidades que o grupo tem de recurso às medidas da Comissão Europeia, no âmbito da alteração do regime de ajudas de estado”.

O líder do executivo açoriano, que falava aos jornalistas, em Ponta Delgada, na sequência de uma reunião de trabalho presencial, e por videoconferência, com as direções sindicais regionais da CGTP e UGT, afirmou que a avaliação das medidas regionais de combate à pandemia “é positiva dentro dos seus objetivos e capacidade de alcance”, tendo como referência os trabalhadores abrangidos e empresas que se candidataram, em harmonia com os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística e Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Segundo o Instituto do Emprego e Formação Profissional, o número de desempregados inscritos nos Açores registou um decréscimo de 6,2% em abril face ao período homólogo.

A representante da CGTP-IN nos Açores, Luísa Cordeiro, que apresentou 33 medidas ao Governo Regional, afirmou aos jornalistas que as medidas do executivo “têm de garantir o emprego, os salários e os direitos laborais".

Deve-se, na sua opinião, salvaguardar as micro e pequenas empresas, onde se “concentra a maioria do emprego” e “torna-se mais premente serem assegurados os postos de trabalho e retribuições dos trabalhadores”.

Luísa Cordeiro destacou, das medidas apresentadas, a garantia da totalidade do rendimento aos trabalhadores em regime de ‘lay-off’, através do orçamento regional, a par da atribuição de uma prestação mensal extraordinária aos trabalhadores sem mecanismos de proteção social, como os trabalhadores independentes ou com vínculo precário, por exemplo.

A CGTP/Açores quer ainda um aumento do complemento de pensão e do abono de família e o alargamento do subsídio social de desemprego aos desempregados sem acesso a esta medida.

Manuel Pavão, da UGT/Açores, disse aos jornalistas que, no âmbito das medidas apresentadas ao Governo Regional, foi defendida a substituição do atual sistema de quarentena/isolamento profilático pelo passaporte covid, a retoma da normalidade dos serviços de saúde, acompanhada de um “esforço adicional” de recuperação de consultas, tratamentos e cirurgias, a par da revogação da circular que sujeita os médicos do exterior a quarentena.

O prolongamento do ‘lay-off’ simplificado até final do ano e a criação de uma remuneração complementar regional para os trabalhadores naquele regime constituem outras das medidas preconizadas.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.