Estudo

Portugueses dormem melhor hoje do que dormiam em 1998

Portugueses dormem melhor hoje do que dormiam em 1998

 

Lusa/AO online   Nacional   17 de Set de 2010, 18:29

Os portugueses dormem melhor hoje do que dormiam em 1998, sendo que 17,7 por cento da população apresenta sintomas de insónia, menos dez por cento do que há uma década, revela um estudo apresentado esta quinta-feira.
“Este estudo diz que os portugueses dormem melhor do que em 1998”, disse a presidente da Associação Portuguesa do Sono e uma das autoras do estudo “Epidemiologia da Insónia em Portugal” apresentado esta quinta-feira no Congresso Europeu da Sociedade de Investigação Sono, que decorre até sábado em Lisboa.

O estudo demonstra que a prevalência da insónia na população portuguesa é de 17,7 por cento. No estudo anterior, publicado em 2005 mas cujos dados eram referentes a 1998, este valor estava nos 28,1 por cento.

“Isto não é o diagnóstico de insónia. O estudo teve como amostra pessoas que tenham apresentado sintoma de insónia três vezes por semana no último mês. Podem ser de vários tipos: com dificuldades em iniciar o sono, em manter o sono, acordam cedo demais (insónia terminal), ou têm sono não reparador”, explicou Marta Gonçalves.

Os 17,7 por cento representam, de acordo com a especialista, “um valor médio baixo em relação aos outros números da insónia [do resultado de estudos feitos noutros países]”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.