Portugueses doam, em média, 16 toneladas de roupa por dia à Associação Humana

Portugueses doam, em média, 16 toneladas de roupa por dia à Associação Humana

 

Lusa/AO Online   Economia   9 de Nov de 2012, 06:33

Os portugueses doam, em média, 16 toneladas de roupa e calçado por dia à Associação Humana, donativos que têm vindo a crescer e permitem apoiar vários projetos em Moçambique e Guiné-Bissau, disse à Lusa uma responsável da organização.

A Humana tem 1.070 contentores espalhados do Porto até ao Algarve, onde as pessoas podem depositar roupa e calçado usados, que depois a associação recolhe, recicla e vende nas suas quatro lojas para apoiar projetos em países em vias de desenvolvimento.

Dados avançados à Lusa pela associação indicam que, até 18 de outubro, os 875 contentores colocados em Lisboa recolheram 3.108.705 quilos de roupa, os 109 depositados em Coimbra receberam 238.085 quilos e os 86 espalhados pelo Algarve, que foram colocados em agosto, arrecadaram 13.681 quilos.

"Mesmo em crise, as pessoas não pararam de doar", disse Cristina Marques, gestora de recolha da roupa da associação.

Nos dez primeiros meses de 2011, a Humana recolheu dos contentores de Lisboa e Coimbra 3.346.790 quilos, número que subiu para 3.360.471 quilos este ano, o que representa uma média de 16 a 17 toneladas por dia.

No ano passado, a associação doou 158 mil euros que foram aplicados em quatro projetos na Guiné-Bissau, dois ligados à educação em Bissorã e os restantes ligados à agricultura e energia.

Foram ainda apoiados dois projetos educativos em Maputo e Chimoio.

Os destinos dos fundos da associação visam “a ajuda humanitária internacional em países e comunidades necessitados, mediante a promoção e execução de projetos de ajuda e cooperação para o desenvolvimento de fins de assistência, culturais e educativos”.

Em Portugal, a associação só faz doações em casos de catástrofe, como aconteceu na Madeira em 2010 em que foi doada roupa quente e cobertores, explicou Cristina Marques.

Sobre o alargamento do projeto a Portugal para atender a casos de extrema necessidade, a responsável disse que “não está fora de questão”, adiantando que alguns dos acordos que a associação está a celebrar com municípios têm também apoio financeiro.

“No caso de terem alguma associação, loja social ou um projeto com crianças, nós podemos apoiar”, avançou.

Uma parte dos fundos obtidos pela Humana, através da sua atividade, destina-se a financiar a estrutura da associação em Portugal, todo o restante é canalizado para os diversos projetos em países em vias de desenvolvimento.

Cristina Marques disse que o apoio da Humana Portugal tem "sido fundamental no crescimento destes projetos", porque os apoios internacionais ao desenvolvimento da Guiné-Bissau são escassos, adiantando que a associação "não recebe qualquer apoio financeiro ou logístico para o desenvolvimento da sua atividade em Portugal".

Para a recolha de donativos de roupa, a associação tem celebrado acordos com entidades públicas e privadas para a colocação dos contentores.

A associação tem três armazéns situados em Palmela, Coimbra e Vilamoura, e quatro lojas em Lisboa, onde os clientes recebem informação sobre os projetos da associação em África.

A Associação Humana Portugal está integrada na Federação Humana People to People, tal como 30 outras entidades existentes na Europa, África, América e Ásia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.