Apesar de se tratar de uma medida essencial

Portugal sem margem para a redução de impostos


 

Lusa / AO online   Economia   27 de Nov de 2007, 17:42

A ex-ministra das Finanças Manuela Ferreira Leite defendeu ainda não existir margem em Portugal para a redução de impostos, apesar de concordar tratar-se de uma medida "absolutamente essencial" para o país.
"É absolutamente essencial a redução de impostos, mas julgo que não existe margem ainda na política económica para isso se processar. Se essa medida for tomada, a despeito de ser obviamente desejável, não é adequada no momento actual", sustentou Ferreira Leite, que falava aos jornalistas à margem de uma conferência no Porto.

Para a ex-ministra das Finanças, o actual ministro Teixeira dos Santos não deve assim "ceder ao ciclo eleitoral e começar a tomar medidas que não são propriamente as mais ajustadas à conjuntura, mas aquelas que são mais ajustadas a adquirir votos".

"As perspectivas para a economia portuguesa serão tanto melhores quanto mais firmes forem as políticas que vão ser seguidas nesta matéria. Nada pior para os agentes económicos do que perspectivarem determinado tipo de política e a seguir a política desviar-se do seu objectivo", concluiu.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.