Debate AR - Programa de Governo

Portas quer "suspender o que está errado" na avaliação,

Portas quer "suspender o que está errado" na avaliação,

 

Lusa/AO Online   Nacional   5 de Nov de 2009, 10:59

O líder do CDS-PP defendeu hoje a suspensão “do que está errado” na avaliação dos professores, com o primeiro-ministro, José Sócrates, a rejeitar em absoluto suspender o que está em curso, admitindo apenas aperfeiçoamentos para o futuro.

No debate do programa do Governo, Paulo Portas perguntou ao primeiro-ministro se está disponível para que seja o Parlamento a “indicar o caminho” de um novo modelo de avaliação, para “substituir o que não está bem por algo que será melhor”.

O líder do CDS-PP defendeu que o caminho deve “obviamente passar pela suspensão do que está errado quer na divisão dos professores titulares e não titulares quer no modelo de avaliação”.

Na resposta, o primeiro-ministro rejeitou em absoluto a suspensão da avaliação dos professores que está em curso afirmando que “não está disponível para ajustes de contas com o passado” e a “deitar para o caixote do lixo” o trabalho feito pelos professores.

“A melhor solução é todos reflectirmos como vai ser a nova avaliação mas devemos levar a que está até ao fim. Se querem dialogar e construir, construamos para o futuro, melhoremos. Mas não façamos ajustes de contas políticos com o passado”, disse o primeiro-ministro.

O primeiro-ministro argumentou que neste momento há 49 mil professores já avaliados no âmbito do actual modelo.

José Sócrates considerou que a posição que manifestou “vai ao encontro” do que afirmou Paulo Portas: “anotei que o senhor disse que a suspensão não seria boa ideia. Concordo que o vazio não é solução”, afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.