Tratado de Lisboa

Polónia afirma não haver obstáculos à assinatura do Tratado de Lisboa


 

Vera Amaro, Lusa/AO online   Internacional   2 de Set de 2008, 12:05

O Presidente da Polónia, Lech Kaczynsky, disse que não há qualquer obstáculo quanto à assinatura do Tratado de Lisboa pelo seu país, mas sublinhou a importância de “manter o princípio da unanimidade” da ratificação do documento.
“Não há obstáculos quanto à nossa assinatura”, afirmou o chefe de Estado polaco, numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente da República português, Aníbal Cavaco Silva, no final de um encontro dos dois homólogos no Palácio Presidencial, em Varsóvia.

    Considerando que a Irlanda tem de encontrar “à sua maneira” uma solução para a ratificação do Tratado de Lisboa depois da vitória do ‘não’ no referendo ao documento, o chefe de Estado Polaco garantiu não existirem obstáculos à assinatura do documento por parte do seu país.

    “O problema da ratificação não está relacionado com a Polónia”, disse.

    Lech Kaczynsky recordou a este propósito que o Parlamento polaco já ratificou o documento assinado em Lisboa a 13 de Dezembro de 2007 com uma maioria de dois terços, tal como o Senado.

    “Mas, agora, tenho o direito de assinar ou não assinar”, acrescentou, deixando entender que poderá ratificar o documento só depois de todos os restantes Estados-membros o terem feito.

    “É importante manter o princípio da unanimidade na ratificação do Tratado”, salientou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.