Economia

PIB no Reino Unido cresceu 0,5% no 3.º trimestre e superou as expectativas

PIB no Reino Unido cresceu 0,5% no 3.º trimestre e superou as expectativas

 

LUSA/AOnline   Internacional   1 de Nov de 2011, 09:55

A economia do Reino Unido cresceu 0,5 por cento no terceiro trimestre, acima do antecipado pelos analistas e melhorando face ao período anterior, de acordo com dados divulgados hoje pelo instituto de estatística britânico.

Este aumento de 0,5 por cento no Produto Interno Bruto (PIB) britânico superou as expectativas dos analistas, que previam que este tivesse avançado entre 0,3 e 0,4 por cento, entre julho e setembro.

Em conferência de imprensa, um porta-voz do Office for National Statistics destacou que este crescimento é animador num momento em que a economia britânica recupera de um crescimento pouco favorável entre abril e junho, quando o PIB avançou apenas 0,1 por cento.

Então, o feriado nacional extraordinário para comemorar o casamento real entre o príncipe William e Kate Middleton (29 de abril) e o tsunami do Japão (11 de março) foram apontados como causas para o fraco crescimento.

Estes valores vão ajudar, dizem os especialistas, a acalmar os receios em relação à força da recuperação económica britânica.

Nos últimos meses, a economia britânica tem estagnado devido à queda nos gastos dos consumidores.

O aumento do PIB no terceiro trimestre foi impulsionado pelo forte desempenho do setor dos serviços energéticos, que cresceu neste período 0,7 por cento face aos 0,2 por cento de aumento no trimestre anterior.

O ONS também disse que o setor empresarial e financeiro registou o seu maior crescimento desde o terceiro trimestre de 2007, particularmente os serviços de administração de escritório e apoio às empresas.

O crescimento nos serviços, que correspondem a três quartos da economia britânica, ajudou a compensar a contração de 0,6 por cento na construção após ter crescido 1,1 por cento no trimestre anterior.

A indústria, incluindo a produção de petróleo e gás, também subiu 0,5 por cento, uma melhoria face à queda de 1,2 por cento registada no trimestre anterior.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.