Açoriano Oriental
Pescadores dos Açores afirmam ter recuado 20 anos em termos de rendimento
O presidente da cooperativa de pescas Porto de Abrigo, Liberato Fernandes, declarou esta segunda-feira que os rendimentos e os níveis de bem-estar no setor "regrediram para valores de há 20 anos" nos Açores.
Pescadores dos Açores afirmam ter recuado 20 anos em termos de rendimento

Autor: Lusa/AO Online

 

“A direção da Porto de Abrigo analisou a evolução da situação da pesca açoriana durante 2013 e constata a enorme degradação do setor resultante da quebra de rendimentos, mais de 2,6 milhões de euros em 2013 e 5,5 milhões nos últimos anos, desde 2010”, referiu Liberato Fernandes, em conferência de imprensa realizada em Ponta Delgada.

Liberato Fernandes reivindica a necessidade de serem ouvidas as associações do setor, “com urgência”, pelo Governo dos Açores, face à “grave situação”.

O dirigente da cooperativa, que defende a convocação do Conselho Consultivo Regional das Pescas, organismo que não reúne desde 2010, especifica que “o valor bruto da primeira venda de pescado em 2013 foi de 34.062.357 euros, o que corresponde a uma quebra de 2.676.605 relativamente a 2012”.

Liberato Fernandes salvaguarda, contudo, um aumento no volume de capturas superior a mil toneladas, frisando que “esta quebra de rendimento é a mais acentuada dos últimos quatro anos”.

“Há uma perda de valor de quase oito por cento no último ano, enquanto a perda acumulada entre 2010 e 2013 é de 14 por cento”, sublinha Liberato Fernandes.

O dirigente associativo refere que “a situação de extrema penúria em que vive o setor extrativo da pesca é tanto mais dramática" se for levado em conta "o aumento dos custos de produção suportados por todo o setor durante igual período de tempo: no gasóleo pescas o aumento oscila entre os 20 e os 25 por cento”.

O presidente da Porto de Abrigo aponta que o setor das pescas tem vindo a “assistir ao aumento de milhares de trabalhadores desempregados que, originários das comunidades, trabalhavam desde há muito noutros setores da economia, particularmente na construção civil”.

“A gravidade da situação da pesca é conhecida e as causas da situação estão suficientemente identificadas. É possível adotar medidas que atenuem os efeitos da crise imediatamente, fazendo o setor reentrar num ciclo de desenvolvimento”, considera.

Liberato Fernandes manifesta “total acordo com a imediata implementação do Fundopesca [fundo que compensa os pescadores quando ficam impedidos de exercer a faina] manifestada por responsáveis sindicais e por entidades como a Federação de Pesca”.

 

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.