Justiça

PEC obriga a adiar investimentos em prisões


 

Lusa / AO online   Nacional   7 de Jul de 2010, 18:32

 O ministro Alberto Martins revelou esta quarta-feira que investimentos previstos para alguns estabelecimentos prisionais já "não serão feitos este ano" e admitiu a subida de determinadas taxas de justiça no âmbito do Programa de Estabilidade e Crescimento para o sector.

O ministro da Justiça falava aos jornalistas à saída da Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, onde revelou que o Conselho Consultivo da Justiça se reúne na próxima segunda-feira para analisar o PEC.

 

Alberto Martins evitou utilizar a expressão cortes na Justiça, preferindo falar numa "gestão racional dos meios" e esclarecer que, apesar da não realização de certos investimentos nas prisões, estas continuam a ser "uma opção prioritária da justiça", mas "não para este ano".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.