Passos Coelho na Madeira com mensagem de solidariedade

Passos Coelho na Madeira com mensagem de solidariedade

 

Lusa/AO online   Nacional   25 de Nov de 2012, 14:08

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje trazer uma mensagem de solidariedade à Madeira, tanto na qualidade de chefe do Governo como de líder nacional do PSD.

 

À chegada à Madeira, onde se deslocou para participar no encerramento do XIV congresso regional do PSD-Madeira, que serve para confirmar a reeleição de Alberto João Jardim Pedro Passos Coelho declarou que, como primeiro-ministro, tem "obrigação de estar próximo de toda a realidade nacional, nomeadamente da Madeira", apontando que esta região é "um território que tem tido problemas muito especiais e merece respeito" do chefe do Governo "como todo o país".

Realçou que o facto de participar na reunião magna dos sociais democratas madeirenses, "não impedirá" a realização de um encontro com o presidente e outros membros do Governo Regional para "fazer um ponto de situação sobre matérias não partidárias, mas de âmbito oficial", sublinhando que tem existido uma "relação próxima" entre os dois executivos.

Passos Coelho lembrou que a região "está a desenvolver um programa de ajustamento financeiro importante para o futuro da Madeira, que o Governo de Lisboa tem procurado acompanhar com muita atenção".

"Sabemos que as dificuldades são imensas, aliás essa é uma tónica comum, são imensas cá e muito grandes também em termos nacionais, esperamos que esse programa seja bem sucedido e que haja um reequilíbrio das contas na Madeira, como nós estamos a procurar um reequilíbrio das contas em Portugal inteiro", declarou.

Pedro Passos Coelho sublinhou que, por essa razão, a sua presença na Madeira "não é para caucionar, nem é para descaucionar" as políticas desenvolvidas pelo governo de Alberto João Jardim, considerando ser "uma presença como presidente do PSD, solidária e amiga".

"Sou presidente do PSD em termos nacionais e venho aqui trazer uma mensagem de apoio do partido", realçou Passos Coelho, acrescentando: "Em termos nacionais, como primeiro-ministro, a conversa é outra, rege-se por outros parâmetros, mas não deixa de ser menos solidária".

Instado a pronunciar-se sobre alegados "bloqueios" na transferência de verbas para a Madeira, Pedro Passos Coelho, sublinhou que existe um "programa muito exigente que está a ser cumprido pelo Governo Regional".

"Nem tudo o que tem sido resultado de exercício orçamental está em linha com o que era esperado, de resto o mesmo se tem passado em termos nacionais", referiu, salientando a importância do esforço que a região tem feito no sentido do controlo da despesa.

"Razão pela qual haverá agora com certeza ocasião para que possamos, do ponto de vista financeiro, ajudar a criar condições para que a execução orçamental possa ser ajustada ã realidade daquilo que foi a quebra de receita fiscal", argumentou.

"Até hoje o Governo Regional tem cumprido com os termos acordados com o Governo da República e nesta medida desejamos nível de comprometimento se mantenha, porque ele é essencial" tando para o país como para a Madeira.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.