Ribeira Grande

Passeio Atlântico desafia desenvolvimento da cidade

Carregando o video...

 

Luís Pedro Silva   Regional   30 de Ago de 2008, 12:34

O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande aproveitou a cerimónia de inauguração da primeira fase do Passeio Atlântico para desafiar os empresários a aumentarem o desenvolvimento económico do concelho

A inauguração da primeira fase do Passeio Atlântico realizada ontem à noite, permitiu ao presente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Ricardo Silva, lançar um desafio para o desenvolvimento do concelho.
Ricardo Silva sublinhou a animação económica desta zona, que vai ser traduzida em “potencialidades vigorosas no campo do imobiliário e do desenvolvimento comercial e turístico”, acrescentando que a continuidade da nova frente urbana da cidade vai representar um “elemento renovador” daquela zona.
O Presidente de Câmara referiu que a obra “nos desafia a todos a olhar em frente e a continuar num processo que se deseja imparável”, apesar de sublinhar que apenas foi cumprida a primeira etapa do Passeio Atlântico.
Com a conclusão da primeira fase, a Câmara Municipal já equaciona a continuação do Passeio Atlântico em fases posteriores, nomeadamente o troço que compreende o miradouro do Palheiro e Santa Luzia com projecto em desenvolvimento e a ponte sobre a ribeira em fase de análise e aprovação do estudo prévio, e também a requalificação do Largo de Santo André, que se encontra em estudo.
Relativamente à primeira fase, a obra veio gerar uma nova zona de lazer para a população, com a criação de passeios laterais à via, que privilegiam o contacto com o mar e os passeios a pé. Foram ainda melhorados todos os aspectos de conforto e de acessibilidade aos vários espaços públicos existentes, nomeadamente com a redução da velocidade média dos veículos automóveis, com a introdução de pavimento em calçada, lancis baixos e passadeiras, bem como com a criação de espaços públicos, reduzindo-se a diversidade dos materiais de pavimentação e eliminando-se os degraus, desníveis entre lancis e pisos, originando uma pavimentação geral contínua.
O autarca considerou a conclusão da primeira fase do Passeio Atlântico “uma obra essencial na perspectiva do saneamento básico da cidade, dado ser um dos braços principais da rede que levará os esgotos até à futura ETAR”.
Sobre a próxima fase da obra, Ricardo Silva, explicou que “terá de continuar a desalojar moradores da outra margem da ribeira, através de um diálogo sério e sem perturbações especulatórias para o futuro lançamento da ponte sobre a ribeira”, explicou.
Sobre o desenvolvimento da rede viária do concelho, anunciou o início da obra que vai ligar a Rua dos Bombeiros Voluntários ao Parque Industrial e vai lançar a concurso a obra de requalificação viária desde a rotunda de São Pedro ao Mercado Agrícola.

Passeio no berço da cidade
Ricardo Silva sublinhou durante a cerimónia de inauguração da primeira fase do Passeio Atlântico que a obra respeita a história da cidade, porque foi naquele local “que nasceu a Ribeira Grande”, exigindo-se naturalidade a um espaço que não poderia ficar descaracterizado pela intervenção urbanística e arquitectónica.
Desta forma, o projecto para o Passeio Atlântico defendeu a introdução de uma pavimentação com materiais orgânicos e naturais, apresentando uma área onde predomina a tradicional calçada à portuguesa, de calcário e basalto, explicou o presidente da Ribeira Grande.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.