Furacão Lorenzo

Passagem de "Lorenzo" menos devastadora que o expectável

Passagem de "Lorenzo" menos devastadora que o expectável

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Out de 2019, 15:41

O presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, considerou hoje que a passagem do furacão “Lorenzo” não foi “tão devastadora como era expectável”, reconhecendo, no entanto, prejuízos em algumas ilhas.

“A expectativa era que fosse muito mais negativa a passagem deste furacão. Obviamente há ilhas que tiveram graves prejuízos: as Flores, o Pico, o Faial e o Corvo tiveram mais prejuízos e de forma mais acentuada”, reconheceu Jorge Rita, em declarações à agência Lusa.

Jorge Rita lembrou que noutros setores de atividade, nomeadamente a nível portuário e habitacional, com casas mais próximas do mar e da costa, houve “prejuízos mais avultados”.

“Ainda é cedo para nós aqui na região fazermos uma análise mais aprofundada. Há muita gente em campo a monitorizar o que se está a passar no sentido de averiguar os reais prejuízos que o furacão deixou”, avançou.

“Os prejuízos são abaixo da expectativa atendendo à capacidade avassaladora que este furacão podia ter”, acrescentou.

Jorge Rita lembrou também que atualmente grande parte das construções, nomeadamente estufas, já são feitas “no sentido de se precaverem para aquilo que são os vendavais normais”.

“Claro que um furacão é sempre de grande imprevisibilidade. Ventos para cima de 200 quilómetros não são muitas as construções na área das estufas que podem resistir a eles, mas felizmente que não temos tido contacto com tempestades dessas dimensões”, disse.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.