Parlamento dos Açores aprova "ecotaxa" para sacos de plástico

Parlamento dos Açores aprova "ecotaxa" para sacos de plástico

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Mai de 2014, 19:23

Os consumidores nos Açores vão passar a pagar uma "ecotaxa" por cada saco plástico que comprarem nas grandes superfícies comerciais e no comércio tradicional, segundo uma proposta do PCP hoje aprovada no parlamento regional.

A medida aprovada na Assembleia Legislativa dos Açores pelos partidos de esquerda (PCP, BE e PCP) determina que a taxa, destinada a fazer diminuir o consumo de sacos plásticos, pode chegar aos cinco cêntimos por saco.

"A distribuição gratuita de sacos de plástico nos estabelecimentos de comércio a retalho cria sérios problemas ambientais", justificou Aníbal Pires, do PCP, que sublinhou que a "abundância" dos sacos provoca a contaminação dos solos e dos cursos de água.

Mas o deputado do CDS/PP Félix Rodrigues entendeu que o valor da ecotaxa é "exagerado" e poderá penalizar os consumidores açorianos que, segundo as suas contas, poderão vir a pagar quase seis milhões de euros por ano ao abrigo desta medida.

"Se admitirmos os valores que são indicados para o número de sacos plásticos para Portugal, por parte da União Europeia, que dão uma média de 496 sacos plásticos por pessoa, os açorianos vão pagar 5,8 milhões de euros por ano", afirmou.

Também Luís Rendeiro, da bancada do PSD, entendeu que o valor da ecotaxa é demasiado elevado e propôs que se fixasse em dois cêntimos por saco, mas a proposta não teve acolhimento.

"O objetivo desta legislação é reduzir o consumo de sacos plásticos, não é castigar as pessoas com mais um imposto", advertiu o parlamentar social-democrata.

Isabel Rodrigues, do grupo parlamentar do PS, que tem maioria na assembleia açoriana, lembrou que o valor definido na legislação hoje aprovada não é obrigatório e pretende apenas ser um "teto máximo".

"Na prática, o valor da ecotaxa até pode ser inferior ao que é proposto pelo PSD", referiu a deputada socialista.

O Governo Regional terá agora 180 dias (seis meses) para regulamentar a ecotaxa a aplicar sobre os sacos plásticos no arquipélago.

A medida só irá entrar em vigor um ano após a sua regulamentação, no caso das grandes superfícies, e dois anos no caso do comércio tradicional.

A ecotaxa foi aprovada por PS, PCP e BE. O PSD absteve-se e o CDS e o PPM votaram contra.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.