Ordem propõe contratação de 40 nutricionistas para escolas dos Açores

Ordem propõe contratação de 40 nutricionistas para escolas dos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   6 de Jul de 2018, 09:27

A Bastonária da Ordem dos Nutricionistas propôs ao presidente do Governo Regional dos Açores que dote todas as unidades orgânicas escolares de nutricionistas, num total de 40 profissionais.

“A proposta foi que houvesse um nutricionista por cada unidade orgânica escolar. Contas feitas, estamos a falar de 40 nutricionistas para as escolas da Região Autónoma dos Açores”, adiantou, em declarações à Lusa, Alexandra Bento, que se reuniu com o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro.

Segundo a bastonária, a contratação de nutricionistas para todos os centros de saúde dos Açores, em 2009, permitiu que a região tivesse registado o maior decréscimo da taxa de obesidade infantil do país, mas ainda há uma elevada prevalência de excesso de peso no arquipélago.

“De 2008 para 2016 desceu 15 pontos percentuais, contudo não nos podemos esquecer que 31% destas crianças ainda têm peso a mais e se nós formos comparar os Açores com outras zonas geográficas, os Açores colocam-se nas piores situações”, salientou, acrescentando que destas crianças 17% têm obesidade.

Os Açores são também a região do país com mais excesso de peso entre os adultos e com maior prevalência de diabetes, hipertensão arterial e colesterol, pelo que Alexandra Bento defende ser urgente tomar medidas para mudar hábitos alimentares.

“É muito mais eficiente promover a saúde antes que a doença chegue. O melhor sítio para fazer a promoção da saúde futura da população é nas escolas, tratando de pôr as nossas crianças a alimentarem-se melhor”, frisou.

Atualmente, existem apenas dois nutricionistas a trabalhar na direção regional da Educação, o que para a bastonária é “muito pouco” para a necessidade das crianças.

“Os nutricionistas têm de estar diretamente nas escolas para poderem acautelar aquilo que é a qualidade das refeições servidas às crianças, mas também para acautelarem aquilo que é a educação alimentar destas mesmas crianças”, afirmou.

Alexandra Bento disse estar convencida de que a proposta verá a luz do dia em breve, alegando que o presidente do executivo açoriano se mostrou “muito sensível”.

“É uma situação muito preocupante”, reiterou a bastonária, acrescentando que “exige medidas que sejam rápidas”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.