Açoriano Oriental
Orçamento da Câmara da Madalena do Pico cresce 2,1ME para 10,7 milhões em 2021

A Câmara Municipal da Madalena conta em 2021 com um orçamento de 10,7 milhões de euros, um crescimento de 2,1 milhões de euros em relação a 2020, disse o presidente, José António Soares.

Orçamento da Câmara da Madalena do Pico cresce 2,1ME para 10,7 milhões em 2021

Autor: Lusa/AO Online

O autarca explicou à agência Lusa que há uma “série de projetos comunitários aprovados este ano, no âmbito do Programa Operacional 2020, que fazem aumentar o orçamento”, havendo também a considerar verbas na ordem dos 400 mil euros para fazer face aos estragos causados pelo furação Lorenzo.

As verbas transferidas no âmbito do FEF – Fundo de Equilíbrio Financeiro também aumentaram cerca 500 mil euros, segundo o orçamento do município, aprovado pela maioria social-democrata, em Assembleia Municipal, na passada sexta-feira, com os votos contra do PS.

O presidente daquele município da ilha do Pico refere que no orçamento de 2020, de 8,6 milhões de euros, foi confrontado com despesas extraordinárias de cerca de 230 mil euros para fazer face aos impactos negativos da covid-19, apoiando os serviços sociais prestados à comunidade.

José António Soares refere que estes apoios sociais devido à pandemia deverão continuar em 2021 em função da sua evolução, tal como os apoios às bolsas de estudo para os estudantes do ensino superior do concelho deslocados, a par dos ‘kits’ de natalidade, entre outras medidas.

Fraldas, toalhitas, óleos e hidratantes são alguns dos produtos que compõem o ‘kit’ oferecido pelo município, visando incentivar a natalidade e combater a desertificação demográfica, contribuindo para a fixação da população jovem.

De acordo com o autarca, os apoios sociais significam em 2021 um esforço financeiro de 350 mil euros distribuídos pelas bolsas de estudo, ‘kit’ de natalidade, Fundo Municipal de Emergência e a iniciativa “Madalena abraça”, uma parceria entre a autarquia e instituições sociais que visa fomentar a inclusão social, promovendo o diálogo intergeracional.

De acordo com a edição de 2020 da plataforma Pordata sobre os Açores, o saldo financeiro do município da Madalena era de 831 mil euros, sendo a sua dívida de 4,6 milhões de euros, a nona posição entre os 19 municípios existentes na região.

A agricultura e a pecuária, a par do turismo, constituem as principais atividades económicas, assumindo a cultura da vinha e seus vinhos um importante papel económico na economia açoriana.

A Madalena é oficialmente a capital dos Açores da Vinha e do Vinho, tendo a marca sido registada pela Câmara Municipal da Madalena no Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

O processo, iniciado pela autarquia em fevereiro de 2014, teve como objetivo “promover o concelho, que é por excelência aquele que mais vinho produz em toda a região, revelando o potencial inesgotável do setor no mais jovem Município da ilha do Pico, cuja história e expansão é indissociável à da produção do vinho”.

O município foi eleito Cidade do Vinho 2017, iniciativa da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV).


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.