Novo Aeroporto

Opção Portela+1 permite ter aeroporto 'low cost' já em 2010


 

Lusa/Ao online   Nacional   28 de Nov de 2007, 05:18

O estudo de avaliação económica da opção Portela+1 para o novo aeroporto de Lisboa, patrocinado pela Associação Comercial do Porto (ACP) prevê a entrada em funcionamento já em 2010 de um pequeno aeroporto para serviço às companhias 'low cost'.
O estudo, hoje divulgado e que foi entregue ao Governo na sexta-feira, dá preferência à localização no Montijo do aeroporto complementar ao da Portela, que poderia assim, transferir o tráfego das companhias de aviação 'low cost' para aquela zona, dentro de três anos.

    Embora admita também Alcochete como possível para a localização do aeroporto complementar, o estudo realizado pela Universidade Católica, assinala que, neste caso, a transferência do tráfego "possa ser marginalmente mais demorada".

    "Nesta opção, é possível ter em funcionamento, já no final do ano de 2010, um pequeno aeroporto, para prestar serviço específico às companhias de aviação 'low cost' e que permite transferir este tráfego da Portela para o novo aeroporto - Montijo ou Alcochete, nas nossas propostas", refere o estudo, elaborado pelo Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada da Universidade Católica, com o apoio da consultora Trenmo.

    Os autores do estudo sublinham que até ao abandono da Portela, previsto nos casos da localização na Ota ou em Alcochete, para 2017, o actual aeroporto "poderá entrar em colapso, exigindo a construção de uma infra-estrutura temporária".

    Ao contrário, a opção Portela+1 "está pensada para aproveitar ao máximo as opções que o novo aeroporto pode proporcionar" e permitir aproveitar o "investimento afundado" na Portela, actualmente objecto de um plano de expansão, que vai custar cerca de 400 milhões de euros.

    A possibilidade de colocar o aeroporto 'low cost' em funcionamento rapidamente, numa localização que se torna definitiva, evita o custo adicional de uma solução de transição que, muito provavelmente, terá que ser realizada nas outras alternativas, consideram.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.