Zimbabué

Ocupações, agressões e saques continuam a dominar realidade dos agricultores


 

Lusa / AO Online   Internacional   20 de Out de 2009, 12:30

 Ocupações de propriedades, muitas vezes por membros do exército e da polícia, agressões e saque sistemático de culturas e equipamentos continuam a dominar a realidade dos agricultores comerciais do Zimbabué, afirmou um agricultor.
Num contacto telefónico com a Agência Lusa, Charles Lock, um agricultor de Headlands, protegido por uma ordem judicial que lhe confere o direito de explorar a sua propriedade (a quinta Karori, com 376 hectares), contou que soldados sob as ordens de um brigadeiro com laços familiares com um membro do governo têm em semanas e dias recentes invadido a sua propriedade, furtado equipamento e colheitas e ameaçado trabalhadores agrícolas e a si próprio sem que a polícia intervenha para o proteger.

“O brigadeiro Mujaji, cuja mulher é irmã da mulher do ministro da Justiça, Patrick Chinamasa, está acima da lei. Soldados comandados por ele apossaram-se no início desta semana de 15 toneladas de tabaco que estavam prontas para serem transportadas para Harare e leiloadas, mil sacos de farinha de milho e dois mil litros de gasóleo que me pertencem sem que a polícia mexa um dedo para me devolver o que me é devido”, disse Charles Lock.

Em finais do mês passado, quando foi noticiado que a mulher do Presidente Robert Mugabe, Grace, explora seis fazendas que foram confiscadas a agricultores comerciais brancos entre 2002 e este ano, o agricultor Murray Pott, da zona de Chinhoyi, viveu um autêntico pesadelo durante um período de duas semanas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.