Açoriano Oriental
Novos projetos privados vão criar 1400 postos de trabalho
O vice-presidente do Governo dos Açores revelou sexta-feira que os novos projetos de investimento privado apresentados este ano, no âmbito do sistema de incentivos regional, vão permitir criar mais de 1400 postos de trabalho no arquipélago.
article.title

Foto: GaCS/HO
Autor: Lusa/AO online

O governante, que falava na sessão de abertura do II Encontro Regional de Freguesias dos Açores entende que estes dados revelam a "confiança" que os empresários têm na região, e também a aposta no combate ao desemprego nas ilhas.

"Só este ano entraram já 561 novos projetos de investimento, no valor de 189 milhões de euros, e que, sendo executados, assegurarão a criação líquida de 1.428 novos postos de trabalho", sublinhou.

Sérgio Ávila entende, porém, que o combate ao desemprego nos Açores passa pelas autarquias, lançando o apelo à ANAFRE (Associação Nacional de Freguesias) para que estabeleça "protocolos de cooperação" com o executivo açoriano, com vista à criação de "emprego sustentável".

O titular da pasta das Finanças no Governo dos Açores anunciou ainda que será autorizado, já no decorrer deste mês, no âmbito do programa PROSA (Programa Social de Ocupação de Adultos), a contratação de 322 pessoas que estavam em situação de desemprego, que vão trabalhar nas autarquias e instituições particulares de solidariedade social.

"Pessoas que irão passar, a partir do próximo mês, a desenvolver uma atividade profissional efetiva, durante um período de tempo bastante significativo, e que é certamente uma requalificação para poderem entrar no mercado de trabalho", sublinhou Sérgio Ávila.

O presidente da Câmara Municipal da Horta, José Leonardo Silva, apelou, por outro lado, aos autarcas para que se unam na contestação, junto do Governo da República, à lei de Finanças Locais e à Lei dos Compromissos, que estão, no seu entender, a "asfixiar" financeiramente as autarquias.

"Estas leis representam uma dificuldade acrescida no âmbito da execução do novo programa operacional até 2020, impossibilitando a capacidade dos municípios de poderem gerir a sua comparticipação nos fundos comunitários, face aos níveis de endividamento", lembrou o autarca socialista.

Já o presidente da ANAFRE, Pedro Cegonho, anunciou que a associação vai realizar no próximo ano, na cidade de Angra do Heroísmo, o seu congresso nacional, sendo a primeira vez que um encontro do género ocorre nos Açores.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.