Novos meios de comunicação ameaçam sobrevivência dos jornais


 

Lusa / RJC   Internacional   9 de Out de 2009, 17:06

A grande maioria ou “mesmo todos” os jornais norte-americanos poderão desaparecer durante os próximos vinte anos devido ao rápido desenvolvimento dos novos media, alertou esta sexta-feira o responsável da agência económica Bloomberg na Cinha.
Segundo a mesma previsão, avançada hoje durante um dos debates da Cimeira Mundial dos Media, em Pequim, os próprios jornalistas também irão desaparecer e serão substituídos por “cidadãos-jornalistas”, mas nem todos subscreveram este prognóstico.

Ao contrário do responsável da Bloomberg, Eugene Tang, que afirmou que “na era da Internet, qualquer pessoa com uma câmara e um telefone celular pode ser jornalista”, o presidente da agência noticiosa alemã DPA considera que “um cidadão-jornalista nunca pode substituir um verdadeiro jornalista”.

“Quando temos um problema em casa procuramos um canalizador profissional e não um cidadão-canalizador”, disse o responsável alemão.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.