Novos bispos das Forças Armadas e Auxiliar de Lisboa são ordenados hoje


 

Lusa/Ao online   Nacional   25 de Nov de 2018, 11:30

Rui Valério é hoje ordenado bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança portuguesas e Daniel Henriques como bispo Auxiliar de Lisboa, numa cerimónia presidida pelo Cardeal Patriarca, Manuel Clemente.

A ordenação episcopal do novo bispo das Forças Armadas está agendada para hoje à tarde, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, juntamente com a do cónego Daniel Batalha Henriques, que foi nomeado pelo papa Francisco como novo bispo auxiliar de Lisboa no passado dia 13 de outubro.

Rui Valério sucede na diocese das Forças Armadas e das Forças de Segurança a Manuel Linda, atual bispo do Porto.

Rui Manuel de Sousa Valério, de 53 anos, pertence à ordem dos Padres Monfortinos e torna-se, com esta nomeação, no primeiro sacerdote português desta congregação a ser nomeado bispo, segundo uma nota informativa do Patriarcado de Lisboa.

Natural de Urqueira, em Ourém, Rui Valério era atualmente pároco da Póvoa de Santo Adrião, na Vigararia de Loures-Odivelas, e também vigário desta vigararia.

O novo bispo português entrou em 1976 no seminário Monfortino, em Fátima, onde prosseguiu os estudos. Mais tarde, em 1984, ingressou no noviciado, em Santermo-in-Colle, em Bari (Itália).

Professou os votos perpétuos em outubro de 1990 e foi ordenado sacerdote no ano seguinte, em março, em Fátima.

O novo bispo português tem formação académica nas áreas da Filosofia e da Teologia.

Em Roma, entre 1985 e 1987, estudou Filosofia, na Pontifícia Universidade Lateranense, e frequentou Teologia, na Pontifícia Universidade Gregoriana, onde concluiu a licenciatura, em 1992, com a especialização em Teologia Dogmática.

Na Bélgica, em Leuven, frequentou, entre 1995 e 1996, o curso de Espiritualidade Missionária, no Centre International Montfortain.

Na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, em 1997, iniciou o Doutoramento em Teologia.

Entre 1992 e 1993, foi capelão no Hospital da Marinha e, entre 2008 e 2011, capelão na Escola Naval.

Na Diocese de Beja, nas paróquias de Castro Verde, foi coadjutor, entre 1993 e 1995, e pároco, entre 2001 e 2007. No Patriarcado de Lisboa, foi coadjutor na Paróquia da Póvoa de Santo Adrião, entre 1996 e 2001, e foi nomeado, em 2011, pároco da mesma paróquia.

Rui Valério trabalhou ainda, durante alguns anos, na Formação dos Postulantes dos Missionário Monfortinos.

Em 2016, foi nomeado pelo papa Francisco como “Missionário da Misericórdia”, durante o Ano Jubilar.

Natural de Ribamar, no Concelho de Mafra, Daniel Batalha Henriques nasceu em 1966, foi ordenado diácono em 1989 e padre a 01 de julho de 1990, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.

A colaboração na Equipa Sacerdotal do Seminário Patriarcal de São Paulo, em Almada, foi um dos primeiros trabalhos pedidos a Daniel Batalha, que integrou também o conselho presbiterial desde a década de 1990, primeiro em representação dos padres novos, depois do setor dos seminários e vocações e atualmente do Cabido da Sé de Lisboa.

Em 1997 iniciou funções como pároco na região de Loures, em 2005 foi nomeado para a paróquia de Algés e depois, em 2010, para a de Cruz Quebrada, até iniciar o trabalho em Torres Vedras, em 2016.

No Patriarcado de Lisboa, Daniel Batalha foi também diretor espiritual do Seminário de Cristo Rei dos Olivais, responsável pelo Serviço de Animação Missionária e, desde abril de 2011, é membro do Cabido da Sé Metropolitana Patriarcal de Lisboa.

Até agora pároco de Torres Vedras e Matacães, o D. Daniel Henriques foi nomeado com bispo com o título simbólico de ‘Acquae Tibilitane’ (antiga diocese no território da atual Argélia).



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.