Vale e Azevedo

Novo adiamento do processo de extradição sem nova data marcada


 

Lusa/AO Online   Nacional   5 de Nov de 2009, 11:08

 O processo de extradição de João Vale e Azevedo do Reino Unido para Portugal foi hoje de novo adiado, não tendo sido determinada uma nova data.

O adiamento, cuja fundamentação não foi adiantada pelo Supremo Tribunal de Justiça [High Court] britânico, foi decidido ainda antes da audiência marcada para a manhã de hoje.

Apesar de o caso constar na lista de sessões de hoje, a sala do tribunal não chegou a abrir e o adiamento só foi confirmado pela secretaria poucos minutos antes da hora prevista.

A fundamentação do adiamento, segundo fonte judicial, foi o pedido do ex-presidente do Benfica para encontrar um representante legal.

Na audiência anterior, a 30 de Julho, Vale e Azevedo representou-se a si mesmo, alegando a necessidade de poupar dinheiro.

A audiência de hoje estava classificada como sendo de “instruções” e pretendia actualizar a informação sobre o processo e delinear o caminho a seguir.

O ex-advogado português é objecto de um pedido de extradição para cumprir uma sentença de sete anos e seis meses de prisão pelos crimes de falsificação e burla qualificada no "caso Dantas da Cunha".

Um mandado de detenção europeu foi emitido a 11 de Junho de 2008, ao qual o juiz Nicholas Evans deu provimento a 27 de Novembro do ano passado no Tribunal de Magistrados de Westminster.

Todavia, os advogados de Vale e Azevedo apresentaram um recurso junto do Suremo Tribunal de Justiça britânico uma semana depois, a 03 de Dezembro.

Vale e Azevedo permanece em Londres sob termo de identidade e residência, com o passaporte retido e impedido de viajar para o estrangeiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.