Transportes marítimos

Navio "Atlântida" está "encalhado"

Navio "Atlântida" está "encalhado"

 

João Alberto Medeiros   Regional   4 de Nov de 2008, 10:03

O navio "Atlântida" não vai chegar aos Açores dentro do "timing" estabelecido pelo contrato  celebrado com os Estaleiros de Viana do Castelo.
De acordo com uma notícia divulgada ontem pela Antena 1/Açores, os Estaleiros de Viana do Castelo confirmam que “é defeituoso o projecto do ‘Atlântida’”.
O comandante António Raposo, da operadora “Atlânticoline”, refere ao Açoriano Oriental que efectivamente os Estaleiros de Viana de Castelo notificaram a operadora  de uma avaria a nível da construção, que não está a pôr em causa a sua estrutura.
“Fomos realmente notificados de um problema de estabilidade em avaria” - concretizou.
Clarifica que não se trata da estabilidade normal do navio, porque nesse aspecto o navio encontra-se bem.
“Estabilidade em avaria significa a estabilidade do navio quando tem um acidente e sofre alagamentos” - explica.
O comandante António Raposo declara que foi enviado pelos Estaleiros de Viana do Castelo um conjunto de propostas para a resolução do problema da estabilidade em avaria, que está neste momento a ser analisado.
Aquele responsável pela operadora marítima açoriana garante que “vamos dar uma resposta atempada aos estaleiros”.
António Raposo manifesta dificuldades em adiantar quando estará o navio nos Açores, porque “a proposta que nos enviaram é muito técnica e engloba várias vertentes, desde alterações de anteparas a correcções de portas”.
“Não são coisas que levem muito tempo a fazer mas que são muito complexas e que implica um estudo que da nossa parte vai levar uma semana ou duas ” - declara.
O comandante Raposo assegura que “vamos comunicar a nossa resposta aos estaleiros o mais breve possível”.
Os Estaleiros de Viana do Castelo vão assegurar os custos inerentes às reparações que serão feitas no navio “Atlântida”.
O contrato celebrado previa que o navio fosse entregue até 30 de Setembro de 2008 ao Governo dos Açores, com um mês de carência.
Na pior das hipóteses, o navio deveria ter sido entregue até 31 de Outubro, segundo António Raposo.
Por decisão do Governo dos Açores, decorre nos estaleiros de Viana do Castelo a construção de dois novos navios tipo “ferry” que ficarão propriedade da Região por via da Atlânticoline. O “Atlântida” constitui o primeiro.
Os dois navios deverão estar disponíveis, para começar a operar em conjunto na Região, durante o Verão de 2009.
Antes de entregar a exploração do transporte marítimo de passageiros e viaturas à Atlânticoline, esta tarefa foi assegurada pela Transmaçor, operadora marítima na qual o Governo detém parte do capital social.
A Atlânticoline, de exclusivo capital público, foi criada em 2005 com vista a proceder à exploração do transporte marítimo de passageiros, veículos e mercadorias. Procede também à prestação de serviços de pilotagem e de reboque e à gestão náutica e comercial de navios.
A operação de transporte de passageiros e viaturas em toda a Região tem decorrido, ou com o recurso ao fretamento directo de navios nacionais ou estrangeiros, como é o caso de 2008, ou através da contratação de uma empresa que assegure esse serviço.


Número de passageiros aumentou este ano
Os navios da Atlânticoline movimentaram entre as ilhas dos Açores, desde o início da operação do Verão transacto, um total de 43.462 passageiros, ou seja, mais cerca de 13.900 do que no período homólogo de 2007. De acordo com dados do gabinete de imprensa do Executivo açoriano, o  número de viaturas transportadas pelos navios “Ilha Azul” e “Expresso Santorini” atingiu, no período em referência, um total acumulado de 6.264, contra 4.696 de Maio a Julho de 2007.
Em Maio, o total dos passageiros transportados pela Atlânticoline cresceu de 2.442 para 4.134, e no mês seguinte de 6.903 para 12.016, passando em Julho de 20.230 para 25.513. No que concerne às viaturas movimentadas, registaram-se subidas de 292  para 667 em Maio, de 1.029 para 1.721 em Junho, e de 2.755 para 3.632 em Julho.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.