Brasil/Eleições

Movimentos "Primavera Europeia" pedem voto em Fernando Haddad

Movimentos "Primavera Europeia" pedem voto em Fernando Haddad

 

Lusa/Ao online   Nacional   27 de Out de 2018, 10:40

O conselho da “Primavera Europeia”, reunido em Frankfurt, Alemanha, aprovou esta sexta feira por unanimidade um comunicado apelando à “defesa da democracia no Brasil” e ao voto em Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT).

“Perante um candidato que põe em causa a Democracia, os direitos humanos e o futuro do planeta, a alternativa é o voto no candidato democrata e progressista. O combate político só pode continuar se a Democracia for salvaguardada. Foi esta a posição que assumimos na eleição Le Pen vs Macron e é esta a posição que mantemos na eleição Bolsonaro vs Haddad”, lê-se num comunicado enviado à Lusa pelo Livre, um dos movimentos que fazem parte da “Primavera Eiuropeia”.

A “Primavera Europeia” é uma lista transnacional que pretende apresentar-se às eleições de 2019 para o Parlamento Europeu.

Em abril último, quando da segunda reunião da “Primavera Europeia”, em Lisboa, Rui Tavares, do Livre, explicou que a iniciativa é um movimento “aberto a quem queira participar individualmente, a assocializações e movimentos cívicos, a partidos nacionais e até a partidos pan-europeus”.

No entender dos movimentos que fazem parte do projeto, o Brasil está “na encruzilhada entre a continuação da própria democracia e a eleição de um elemento fascista assumidamente militarista, racista, homofóbico e misógino”.

“A agenda de Bolsonaro é, em termos sociais, o nacionalismo mais violento e opressor de quaisquer minorias e, em termos económicos, a desregulação completa da economia e o neoliberalismo mais agressivo. Esta agenda não afetará apenas o Brasil – o seu impacto será sentido em toda a América Latina e no mundo”, avisam os subscritores do comunicado.

E acrescentam que a eleição de Jair Bolsonoro tem ainda “enormes riscos ambientais”, por o candidato apostar na exploração intensiva dos recursos naturais e querer tirar o Brasil do Acordo de Paris (de diminuição da emissão de gases com efeito de estufa”.

Ao contrário, Fernando Haddad é um defensor da democracia, dizem os subscritores, concluindo: “Como em momentos anteriores, seja nos Estados Unidos ou em França, perante a ameaça do nacionalismo violento e autoritário, os democratas de todos os quadrantes políticos devem unir-se numa ampla frente democrática, de modo a garantir que haja sempre espaço para combate político”.

Além do Livre, fazem parte da lista da “Primavera Europeia” movimentos como “Génération.s”, do francês Benoit Hamon, ou o “DiEM25”, do grego Yanis Varoufakis.

A segunda volta das eleições presidenciais no Brasil realiza-se no domingo, colocando em confronto o candidato da extrema—direita Jair Bolsonaro e o candidato do PT, esquerda, Fernando Haddad.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.