Açoriano Oriental
Ministra da Agricultura sublinha empenho de Portugal numa PAC sem cortes

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, sublinhou o empenho do Governo para que Portugal não sofra cortes no orçamento da Política Agrícola Comum (PAC) para o próximo Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia.

article.title

Foto: PAULO NOVAIS/LUSA
Autor: Lusa/AO Online

Em declarações à Lusa em Esposende, distrito de Braga, à margem do Encontro Nacional de Técnicos da Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e de Crédito Agrícola de Portugal (CONFAGRI), a ministra referiu que espera que os níveis da PAC se mantenham, para dar continuidade a um conjunto de políticas que têm resultado.

“Temos defendido, no âmbito do quadro financeiro plurianual, que não haja cortes e que se mantenham os níveis de apoio para a PAC. Temos essa expectativa e vamos continuar a lutar para que isso possa acontecer”, referiu.

No início do Encontro Nacional de Técnicos, secretário-geral da CONFAGRI, Francisco Silva, sublinhou a necessidade de o Governo “negociar bem” a reforma da PAC, para “garantir os apoios” necessários para a agricultura portuguesa.

Maria do Céu Albuquerque garantiu que, na mesa das negociações, o Governo tem também defendido que não haja diminuição das verbas para o Programa de Opções Específicas para o Afastamento e a Insularidade nas Regiões Ultraperiféricas (POSEI) nem para o setor.

“O que queremos é dar continuidade a um conjunto de políticas que têm resultado, nomeadamente no setor vitivinícola”, referiu, vincando o 9.º lugar que Portugal ocupa no 'ranking' mundial em termos de exportação de vinhos.

A ministra alertou que o novo ciclo será “muito exigente”, alocando 40 por cento dos montantes afetos à PAC aos pilares do ambiente e clima.

O grande desafio, assinalou, é que a agricultura ganhe competitividade e simultaneamente contribua para a mitigação das alterações climáticas.

“Para isso, precisamos de desenvolvimento tecnológico, de inovação, de nos sentirmos todos convocados”, disse ainda.

De resto, Maria do Céu Albuquerque disse que a agricultura em Portugal é um setor que já demonstra “grande vitalidade”, com um crescimento sustentável que “importa ser valorizado”.

Lembrou que é um dos setores que mais tem crescido em Portugal, designadamente em termos de exportações, defendendo que esse é um caminho que tem de continuar a ser feito.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.