Ensino superior

Milhares de estudantes espanhóis protestam contra Processo de Bolonha


 

Lusa/AOonline   Internacional   13 de Nov de 2008, 17:12

Milhares de estudantes manifestaram-se em várias cidades espanholas contra o Espaço Europeu de Educação Superior, mais conhecido como Processo de Bolonha, e os custos elevados dos cursos públicos.
Madrid, Sevilha e Barcelona foram os principais palcos dos protestos dos estudantes, que contestaram também a privatização do ensino universitário público e a separação das competências educativas entre dois Ministérios, o da Ciência e Inovação e o da Educação.

    Fontes da polícia espanhola indicaram que em Madrid mais de 10 mil estudantes saíram à rua.

    "Em defesa da Educação Pública. A crise tem que ser paga pelos capitalistas" foi uma das muitas frases de protesto escritas nas faixas exibidas pelos estudantes.

    O porta-voz da Associação de Estudantes das Universidades Públicas de Madrid, Javier Galán Blanco, explicou, em declarações a jornalistas, que o Processo de Bolonha implica o desaparecimento de cursos, sobretudo daqueles que detém um número escasso de alunos, e a criação de outros cursos não financiados pelo Estado.

    "Estes (novos) cursos podem alcançar valores entre os 1.500 e os 13 mil euros, enquanto os actuais estavam situados entre os 600 e os 1.500 euros", precisou.

    "Desta forma, nem todos os estudantes vão poder ter acesso a uma formação de qualidade e completa, já que muitos terão de se conformar com um nível de quatro anos, que não permite investigar", afirmou o porta-voz dos estudantes.

    O líder estudantil defendeu ainda que o Processo de Bolonha significa o auto-financiamento das universidades públicas através de ligaçoes com empresas privadas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.