Mensagem de confiança em dia de efeméride

Carregando o video...

 

Rui Leite Melo   Regional   9 de Out de 2008, 21:49

Os Correios de Portugal são uma empresa estável, pelo que os seus trabalhadores devem partilhar de uma plena confiança no futuro. Esta foi a mensagem ontem deixada durante a cerimónia comemorativa do Dia Mundial dos Correios, que este ano se centrou em Ponta Delgada.
Questionado pelos jornalistas acerca de certos focos de contestação que têm surgido entre trabalhadores da empresa, Duarte Araújo, presidente do conselho de administração dos CTT, minimizou a situação, tendo a propósito afirmado que “não faz neste momento sentido entrarmos nesta área porque são situações meramente pontuais que carecem de uma intrepretação mais  cuidada  que o conselho de administração irá avaliar”.  Acrescentou ainda que entre administração e trabalhadores “há diálogo, como não podia deixar de ser”, salientando que o capital da empresa são os próprios trabalhadores, pelo que recusou liminarmente qualquer situação de “guerra” entre trabalhadores e  administração.
Também António Ventura, director regional dos CTT, aproveitou a ocasião para falar perante uma sala cheia de funcionários e de convidados, enaltecendo a solidez dos Correios de Portugal. Como então explicitou, “é sempre difícil quando festejamos aniversários, e após um século de actividade, dizermos coisas que não sejam positivas porque hoje, mais uma vez, os Correios estão de saúde, os Correios estão fortes, esta é uma marca de confiança e de credibilidade, tranquila, sem crises e com todos os posto de trabalho assegurados”.
Uma mensagem reforçada com a exibição de um pequeno filme, que contou com a colaboração de todos os responsáveis pelas 52 chefias existentes no arquipélago.  O elogio aos trabalhadores dos CTT nos Açores foi também expresso pelo director regional, que salientou “todos aqueles que hoje trabalham com rigor na obtenção de objectivos muito favoráveis para o cliente e que, diariamente, se preocupam  com a insatisfação dos clientes, que diariamente se preocupam com as preocupações daquilo que é a crise, estes merecem estar connosco porque quiseram estar connosco”.
A melhoria da qualidade do serviço e a minimização de custos junto do cliente são, de resto, as grandes prioridades da empresa para os próximos tempos. Isto mesmo disse o presidente do conselho de administração aos jornalistas, tendo realçado que “a aposta passa por criar condições de minimização de preços, tornando os CTT mais competitivos, nomeadamente na área da produção, leia-se, na entrega final do produto ao cliente”.
Para além dos habituais discursos, a que se seguiu um Pico de Honra, foram também atribuídas insígnias de ouro e de prata aos colaboradores dos Correios nos Açores com maior antiguidade e com melhor performance profissional. Foi ainda apresentada uma exposição  de filatelia alusiva ao Escutismo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.