Reino Unido

Mau tempo causa inundações em Inglaterra

Mau tempo causa inundações em Inglaterra

 

Lusa / AO online   Internacional   23 de Nov de 2009, 11:55

Dezenas de pontes e estradas permanecem esta segunda-feira cortadas e numerosas escolas fechadas na região dos Lagos (noroeste de Inglaterra), depois das inundações dos últimos dias e as buscas continuam para encontrar uma jovem mulher desaparecida, disseram fontes policiais.
Dezasseis pontes e pelo menos 25 estradas estavam fechadas no condado de Cumbria, a mais atingida pelas inundações, onde cerca de vinte escolas também estavam encerradas.

Mais de 60 pessoas continuavam hoje abrigadas em habitações temporárias.

Os serviços de fiscalização especializados continuavam a rever as 1800 pontes do condado para confirmar que não tinham ficado danificadas pelas inundações.

Seis pontes afundaram-se em Cumbria, provocando a morte na sexta-feira de um polícia de 44 anos.

As mesmas fontes acrescentaram que um homem, que seguia numa canoa, morreu devido à subida das águas no Devon, no sudeste de Inglaterra.

As buscas para encontrar uma mulher de 21 anos, aparentemente levada pelo rio Usk no sábado à noite, foram retomadas hoje.

Cerca de 1300 residências ficaram danificadas em Cumbria, onde choveu torrencialmente entre quinta-feira e sexta-feira, um acontecimento “que apenas acontece uma vez de 500 em 500 anos”, segundo os serviços meteorológicos.

Os habitantes retirados foram autorizados hoje de manhã a regressar a casa. No total, 900 habitações, na maioria devastadas, em Cockermouth, a cidade mais afectada, tiveram de ser evacuadas.

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, que visitou o condado no sábado, anunciou o desbloqueamento de um milhão de libras (cerca de 1,11 milhões de euros). Os danos podem ultrapassar 100 milhões de libras (112 milhões de euros), segundo a Associação das Seguradoras britânicas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.