Matteo Renzi abandona o PD e anuncia que formará novo partido

Matteo Renzi abandona o PD e anuncia que formará novo partido

 

Lusa/AO Online   Internacional   17 de Set de 2019, 08:43

O ex-primeiro-ministro italiano Matteo Renzi anunciou que vai deixar o Partido Democrata (PD), do qual era secretário-geral, para criar a sua própria formação, mas garantiu que o grupo continuará a apoiar o Governo de Giuseppe Conte.

Matteo Renzi anunciou a saída do PD oficialmente numa entrevista publicada hoje no jornal La Repubblica.

O líder da esquerda italiana explicou que o novo grupo "ampliará a base do consenso parlamentar" no governo do Conte.

Renzi disse que "o PD é um conjunto de correntes, sem visão de futuro" e que, por isso, quer passar os próximos meses "a lutar contra (Matteo) Salvini, e não a defender-se do fogo amigo".

O ex-primeiro-ministro não quis adiantar o nome do seu novo partido e explicou que o símbolo e as ideias da formação serão apresentados na próxima reunião em Leopolda (congresso político criado por Renzi).

Segundo algumas sondagens, o partido de Renzi ficaria com 5% nas intenções de voto.

Renzi [que se demitiu em dezembro de 2016 do cargo de primeiro-ministro após a derrota no referendo contra a reforma do sistema parlamentar que havia proposto] garantiu que a sua saída não tem nada a ver com o facto de ficar de fora do novo Governo formado pelo PD e pelo Movimento 5 Estrelas que promoveu.

“Esse não é o ponto. Se eu pensar em como as instituições estão representadas agora, o novo governo de Conte parece-me um milagre. Ter enviado Salvini para casa é algo que permanecerá no meu currículo como uma das coisas de que mais me sinto orgulhoso ", acrescentou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.