Mais de 3.000 milhões de notas de 100 e 200 euros entram em circulação na terça-feira

Mais de 3.000 milhões de notas de 100 e 200 euros entram em circulação na terça-feira

 

AO Online/ Lusa   Nacional   27 de Mai de 2019, 12:22

Mais de 3.000 milhões de novas notas de 100 e 200 euros foram produzidas para a entrada em circulação agendada para terça-feira na zona euro, avançou o Banco de Portugal à Lusa.

“Para a entrada das novas notas em circulação, foram produzidas 2.300 milhões de notas de 100 euros e 750 milhões de notas de 200 euros”, indicou à Lusa fonte oficial do Banco de Portugal.

Mas as novas notas de 100 e de 200 euros não foram fabricadas em Portugal. Estiveram envolvidos no fabrico das novas notas de 100 euros os bancos centrais de sete países: Itália, França, Áustria, Alemanha, Letónia, Lituânia e Espanha, mas só cinco fábricas trataram da impressão das novas notas, de acordo com o supervisor.

No caso da nota de 200 euros, os bancos centrais responsáveis pela produção das novas notas foram Itália, França e Áustria.

Na última quinta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) partilhou, na sua conta no Twitter, vídeos que mostravam notas de 200 euros a serem impressas na fábrica do banco central italiano.

As novas notas de 100 e 200 euros entram em circulação a partir de terça-feira, com a mesma cor, mas mais pequenas e com novos elementos de segurança, concluindo a implementação das notas da série Europa.

Questionado sobre o número de notas de 100 e 200 euros em circulação em Portugal, o Banco de Portugal indicou que “numa união económica e monetária, como é o caso da área do euro, não é possível saber a quantidade de notas que circulam em cada país”.

Mas o regulador e supervisor bancário português adiantou que, “globalmente, na área do euro, no final de abril de 2019 encontravam-se em circulação 2.848 milhões de notas de 100 euros e 269 milhões de notas de 200 euros”.

De acordo com dados do Banco Central Europeu (BCE), no final de abril as notas de 100 euros correspondiam a 12,7% do total de notas em circulação, enquanto as de 200 euros representavam 1,2%, a menor parcela entre as várias denominações.

As notas de 50 euros representavam a maior fatia de notas em circulação (46,6%), num total de 10.476 milhões de unidades, enquanto as de 500 euros, que deixaram de ser fabricadas desde 27 de janeiro por 17 dos 19 bancos centrais da zona euro, correspondiam a 2,3% de todas as notas em circulação na zona euro, num total de 507 milhões.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.