Museu de Serralves

Mais de 10 mil pessoas visitaram exposição de Robert Rauschenberg


 

Lusa / AO online   Nacional   2 de Nov de 2007, 10:38

 Mais de 10 mil pessoas já visitaram a exposição de Robert Rauschenberg "Em Viagem 70-76", que foi inaugurada sexta-feira, no Museu de Serralves, no Porto, anunciou o presidente da Fundação de Serralves.
Em comunicado enviado à Lusa, António Gomes de Pinho afirma que o interesse do público "se deve ao facto de ser a primeira vez que a obra de Rauschenberg, um dos maiores artistas mundiais vivos, é apresentada em Portugal e à circunstância de muitos dos trabalhos pertencerem à colecção privada do artista e só agora estarem em exposição".
"Este é um momento importante para a cultura portuguesa, simbolizado na vinda do próprio artista que, apesar da avançada idade e do seu estado de saúde débil, fez questão de estar presente na inauguração e de acompanhar de perto os trabalhos de montagem", acrescenta Gomes de Pinho.
Segundo o responsável, a mostra, inaugurada sexta-feira, "ultrapassou já os 10 mil visitantes, aproximando-se dos números da exposição de Paula Rego, a mais visitada de sempre em Portugal" (157 mil visitas).
A Fundação de Serralves salienta ainda ser "igualmente significativo o número de curadores, críticos de arte, coleccionadores e directores de museus estrangeiros que têm visitado a mostra, que Serralves espera que venha a constituir um pólo de atracção de turismo cultural para Portugal".
A mostra de Robert Rauschenberg estará em Serralves até 30 de Março de 2008, iniciando um périplo europeu, após o que segue para Alemanha, onde será apresentada na Haus der Kunst, de Munique, e posteriormente, para o do Museo Donna Regina (Madre), de Nápoles, em Itália.
A exposição, que reúne 65 trabalhos realizados entre 1970 e 1976, é comissariada por Mirta d'Argenzio.
Esta é a primeira grande apresentação em Portugal da obra de Rauschenberg, um dos artistas mais relevantes na história da arte do último meio século.
Robert Rauschenberg tem um percurso único, tendo na sua carreira galardões invulgares, nomeadamente o Grammy que ganhou pela criação da capa do álbum "Speaking in Tongues", dos Talking Heads (1983).
Foi também o único artista convidado pela revista Time para criar a capa de uma das suas edições, assim como um dos criadores seleccionados pela NASA para ter uma obra sua na Lua.
Sendo um dos artistas mais reconhecidos da actualidade, Robert Rauschenberg vem desafiando gerações sucessivas de novos públicos, ao longo do último meio século, tendo usufruído de importantes momentos de consagração mundial.
Entre esses momentos, está a atribuição do Leão de Ouro, na Bienal de Veneza de 1964, que o tornou no primeiro artista americano a receber esta distinção.
Destaca-se também a importante exposição que reuniu recentemente, entre 2006 e 2007, as suas "combine paintings" em museus como o Metropolitan Museum of Art (Nova Iorque), o Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, o Centro Georges Pompidou, em Paris e o Moderna Museet, em Estocolmo.
Da obra de Rauschenberg dizem os historiadores de arte que "abriu possibilidades revolucionárias para a concepção e a realização da obra de arte, suscitando novas possibilidades entre a pintura e a escultura e entre a performance e o objecto".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.