Educação

Luís Andrade lamenta veto de Bush ao ensino do português


 

Lusa / AO online   Regional   19 de Nov de 2007, 16:31

O professor universitário de Relações Internacionais Luís Andrade manifestou-se "surpreendido" pelo recente veto do presidente norte-americano à proposta de financiamento de programas de educação, que incluíam o ensino do português como segunda língua.
Antigo representante dos Açores na Comissão Bilateral de Acompanhamento do Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os Estados Unidos da América, Luís Andrade considerou "lamentável que se ignore a língua de uma comunidade que tem quase 250 milhões de pessoas distribuídas em todos os continentes do mundo".

"A decisão do presidente Bush revela uma discriminação ao ensino da língua de um país amigo, aliado, que disponibiliza espaço numa base militar e tem no seu território mais um milhão de portugueses, muitos deles açorianos", acrescentou, em declarações à agência Lusa.

Segundo Luís Andrade, até nem seria de deixar de fora "a possibilidade dos militares do destacamento norte-americano da Base das Lajes (Ilha Terceira) aprenderem português como forma de melhorar o seu relacionamento com as populações locais".

O presidente norte-americano, George W. Bush, vetou recentemente uma proposta apresentada pelo congressista democrata Patrick Kennedy de financiamento de programas de educação, em que se incluía o ensino do português como segunda língua, classificando-os como "projectos esbanjadores".

"O Congresso deve aos contribuintes esforços melhores", disse Bush.

Nos Estados Unidos vivem mais de um milhão de portugueses.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.