Troféu Pedro Pauleta

Lotaria das grandes penalidades castiga ineficácia do Santa Clara

Lotaria das grandes penalidades castiga ineficácia do Santa Clara

 

Arthur Melo   Futebol   13 de Nov de 2009, 23:47

O Benfica conquistou em São Miguel o sexto troféu em torneios particulares na presente temporada. O Santa Clara só não ganhou o desafio porque desperdiçou flagrantes ocasiões de golo, numa partida em que exerceu total domínio perante a segunda linha da equipa que viajou da Luz
Santa Clara e Benfica protagonizaram noite emotiva na disputa do I Troféu Pedro Pauleta, conquistando os benfiquistas o “caneco” no desempate das grandes penalidades.
Um prémio lisonjeiro para os homens de Jorge Jesus, que chegaram lisonjeiramente ao final do tempo regulamentar com uma igualdade 1-1, depois de um jogo em que os encarnados de Ponta Delgada foram a equipa com mais bola, mais domínio e maiores (e melhores) ocasiões de golo, desperdiçadas, algumas delas, de forma muito infantil.
Pode-se, nesta análise, levar em linha de conta o facto de o Benfica ter actuado, em São Miguel, com uma equipa de segunda linha perante um Santa Clara na sua máxima força e com o seu onze habitual. Tal é verdade mas, verdade também é que para a história foi o Benfica que actuou em Ponta Delgada e foi dominado pelo Santa Clara, que apenas não conquistou o troféu por culpa própria.
Nuno Gomes abriu as hostilidades logo no primeiro minuto depois de enviar de cabeça a bola à trave de Matt Jones. Contudo,  pese embora algumas jogadas de ataque criadas pelo lado direito, o domínio coube sempre ao Santa Clara, que circulava melhor o esférico, exercia pressão em todo o relvado... e já falhava golos!
Mas, nestas coisas do mundo, da bola o imprevisível está sempre à espreita da oportunidade certa, e, perto do descanso, Keirrison tirou um coelho da cartola e fez magia. De costas para a baliza recebeu, segurou Danilo Rocha e, num movimento de classe e génio, rodou e atirou a contar sem hipótese para Matt Jones.
Na segunda parte, e já com Jorge Jesus a mexer no descaracterizado onze benfiquista, a pressão do Santa Clara aumentou e a igualdade chegou por Leandro Tatu, após uma recuperação de Rincon. Justiça no marcador que começou a ganhar sabor de injustiça quando, em seis minutos, Renan (por duas vezes) e Nuno Santos falharam de forma incrível o golo.
No desempate das grandes penalidades, Danilo Silva tratou de inventar e permitiu a defesa a Moreira, garantindo desta forma ao Benfica a conquista do sexto troféu em torneios particulares na época 2009/2010.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.