Bolsa

Lisboa fecha em baixa com maioria dos títulos no vermelho


 

Lusa / AO online   Economia   15 de Out de 2009, 17:44

 O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI 20, encerrou em baixa, em linha com as bolsas europeias, a descer 0,40 por cento para 8.846,12 pontos, com 17 das 20 cotadas a perderem valor.
Durante a sessão mudaram de mãos mais de 59 milhões de títulos, num valor aproximado de 157 milhões de euros.

Pela positiva, apenas há a registar as subidas do BCP e do BES, de 1,5 por cento para 1,059 euros e de 0,3 por cento para 5,265 euros, respectivamente, com o banco liderado por Carlos Santos Ferreira a liderar as valorizações e a liquidez, com quase 27 milhões de acções negociadas ao longo do dia.

A Teixeira Duarte fechou inalterada face à cotação da véspera, com as restantes 17 cotadas no índice de referência a encerrarem a sessão no vermelho.

Entre as quedas, a EDP foi quem mais pesou para o fecho negativo do PSI 20, ao descer 1,4 por cento para 3,135 euros e mais de 14 milhões de papéis movimentados, o segundo registo do dia, atrás do BCP, isto, apesar de o banco suíço UBS ter hoje considerado que a empresa é "a via mais barata para investir nas energias renováveis na Europa".

A energética foi seguida por um grupo de cinco empresas que baixaram mais de 1 por cento, entre elas, destaque para a Brisa e para a Portugal Telecom, que recuaram 1,06 por cento para 7,104 euros e 1,03 por cento para 8,046 euros.

A bolsa portuguesa acompanhou o desempenho dos principais mercados europeus que fecharam hoje a desvalorizar entre os 0,18 por cento de Madrid e os 0,63 por cento de Londres.

O Euronext 100 fechou a cair ligeiros 0,03 por cento por cento para 677,09 pontos, ao passo que o índice DJ Stoxx 50 conseguiu contrariar a tendência negativa e subiu 0,01 por cento para 2.490,30 pontos.

Os prejuízos hoje anunciados pela finlandesa Nokia relativos aos resultados do terceiro trimestre apanharam de surpresa os analistas, que esperavam lucros, e contagiaram negativamente o sentimento dos investidores que apostam nas praças accionistas europeias.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.