Líder do PSD/Açores desvaloriza críticas sobre data de Conselho Regional

Líder do PSD/Açores desvaloriza críticas sobre data de Conselho Regional

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Out de 2019, 06:03

O líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, disse que "querer criar controvérsia com a data do Conselho Regional" da estrutura "mais não é do que um mero pretexto para destabilizar o normal funcionamento do partido".

"Discutir a vida interna do PSD/Açores na praça pública não é zelar pelo bem do partido, mas sim contribuir para instalar a confusão. Trazer a público questões internas do partido não atinge o presidente e a direção. Pelo contrário, prejudica todo o partido e é fazer o jogo do PS", defendeu o dirigente.

A posição de Gaudêncio foi transmitida à agência Lusa por escrito, e alude a críticas de Pedro Nascimento Cabral, derrotado nas últimas eleições do PSD/Açores, que considerou a marcação do Conselho Regional para uma sexta-feira, 25 de outubro, uma medida com o "propósito de impedir ou dificultar a deslocação dos conselheiros regionais das demais ilhas dos Açores à reunião que pode traçar" o futuro político do partido.

Gaudêncio, na resposta, defendeu que "a convocação do Conselho Regional para uma sexta-feira não é inédita, muito pelo contrário".

"Aliás, nos últimos seis anos, uma em cada três reuniões do Conselho Regional ocorreu num dia de semana. Nessas ocasiões as datas escolhidas nunca foram objeto de qualquer polémica. Fica assim comprovado que não têm fundamento as críticas sobre a data em causa", prosseguiu.

Além disso, concretizou o líder dos sociais-democratas açorianos, "a convocatória foi enviada aos senhores conselheiros com grande antecedência, possibilitando a todos que possam conciliar as suas vidas pessoais e profissionais com a realização desta reunião do Conselho Regional".

No domingo, o PS repetiu nos Açores a vitória nas legislativas nacionais de 2015, quando o presidente do partido e ex-presidente do Governo Regional, Carlos César, foi cabeça de lista e os socialistas elegeram, como agora, três deputados em cinco possíveis na região.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.