Lançada rede investimentos entre empresas


 

Lusa / AO online   Economia   21 de Nov de 2007, 16:50

O secretário de Estado das Comunidades, António Braga, anunciou, em Hamburgo, o lançamento de uma rede de investimentos "para valorizar parcerias estratégicas" entre empresas portuguesas sedeadas em Portugal e firmas de emigrantes no estrangeiro.

O programa, intitulado "NetInvest", será constituído pelas empresas participantes, que terão um capital de risco em empreendimentos da ordem dos 20 a 25 por cento e os restantes 75 por cento serão investimentos dos diversos parceiros, podendo ainda haver recurso à banca, explicou António Braga.

O "NetInvest" é um programa criado pela Secretaria de Estado das Comunidades e o pelo Ministério da Economia.

"Identificamos nas comunidades portuguesas mais de 122 mil empresários espalhados pelo mundo, dos quais 20 mil são grandes empresários ou grande empresas, e um total de 40 associações empresariais", referiu António Braga.

As declarações do secretário de Estado, que hoje iniciou uma visita de três dias à Alemanha, foram proferidas num encontro com empresários portugueses.

António Braga sublinhou que o conjunto das empresas portuguesas espalhadas pelo mundo "são um potencial enorme para ajudar na internacionalização da economia portuguesa".

O governante reconheceu, no entanto, que o programa "NetInvest" será "complexo e demorará tempo a montar", mas acrescentou que o governo pretende pô-lo a funcionar ao longo do ano de 2008.

António Braga participou ainda em outros encontros com representantes da comunidade portuguesa em Hamburgo para as áreas do ensino, desporto, assuntos sociais, cultura e juventude.

Cerca de duas dezenas de pessoas participaram nos encontros nas novas instalações do Consulado de Hamburgo, que vão ser inauguradas quinta-feira pelo secretário de Estado.

No debate sobre educação, que reuniu a responsável pela coordenação do ensino na Alemanha e representante de pais e professores, António Braga foi confrontado com alguns problemas que mais preocupam os docentes, pais e alunos.

Um desses problemas prende-se com o facto do sistema escolar alemão estar gradualmente a criar escolas a tempo inteiro.

Isto significa que os alunos portugueses dos cursos paralelos não curriculares têm as tardes ocupadas no ensino curricular, existindo também um problema de aquisição de salas de aulas para o ensino do português.

A coordenadora do ensino, Antonieta Mendonça, contou ainda que em muitas escolas alemãs não é possível dar aulas de português fora do horário normal de funcionamento dos estabelecimentos, apenas porque os porteiros se recusam em mantê-los abertos por mais tempo.

António Braga preconizou que esses problemas possam ser resolvidos a nível diplomático com uma eventual intervenção dos responsáveis dos consulados.

O secretário de Estado aproveitou também para insistir na importância da integração do português no currículo das escolas, o chamado ensino integrado, considerando que a outra alternativa, o ensino paralelo, "é um castigo e não uma motivação para as crianças".

Referindo-se aos problemas surgidos recentemente na Alemanha de centenas de alunos de portugueses do ensino paralelo que ficaram sem aulas no início do ano lectivo por falta de professores de portugueses que deixaram de ser contratados pelas autoridades alemãs em algumas regiões, Braga garantiu que "os problemas quando surgirem serão resolvidos independentemente de Portugal continuar a defender o princípio da inclusão do ensino do português no currículo das escolas".

"A resposta será de acordo com as condições no terreno e teremos que encontrar respostas para cada modelo", acrescentou o governante, lembrando que há cerca de cinco milhões de portugueses espalhados pelo Mundo e uma grande diversidade de situações no que se refere ao ensino.

 A visita de António Braga à Alemanha prossegue hoje à noite com a participação no lançamento do livro "Portugal im Haburg" do historiador Micael Studemund-Halévy.

O evento terá lugar abordo do navio museu Rickmer Rickmers, que foi o 2º navio de escolas Sagres da Marinha Portuguesa até 1962.

Na quinta-feira, António Braga desloca-se a Osnaburck para uma reunião com o presidente da Câmara Municipal, seguida por uma recepção na edilidade e também para um encontro com a comunidade portuguesa no escritório consular, que passará em breve a vice-consulado no âmbito da reestruturação consular aprovada pelo governo.

Na quinta-feira, o secretário de Estado inaugura ainda as novas instalações do consulado em Hamburgo

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.