Justiça espanhola ordena prisão de casal suspeito de matar criança chinesa adotada


 

Lusa/AO online   Internacional   27 de Set de 2013, 19:40

A justiça espanhola ordenou esta sexta-feira a prisão de uma advogada de 44 anos e do seu ex-marido suspeitos do homicídio da sua filha adotiva de 12 anos, de origem chinesa.

O corpo da criança, Asunta Yong Fang Basterra Porto, foi descoberto no passado dia 22 de setembro numa zona florestal junto da cidade galega de Santiago de Compostela, algumas horas depois de os pais adotivos terem relatado o desaparecimento da criança.

O caso, de contornos misteriosos, está a chocar a opinião pública espanhola.

O juiz de instrução do tribunal de Santiago de Compostela ordenou que Rosário Porto e o seu ex-marido, o jornalista Alfonso Basterra, de 49 anos, fossem detidos sem direito a caução, depois de terem sido interrogados, em separado, durante várias horas.

Diante do juiz, o casal negou qualquer envolvimento na morte da criança.

A justiça espanhola está a aguardar os resultados dos exames toxicológicos realizados ao corpo da criança.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.